1 Samuel

  • Elcana e suas mulheres

  • 1Havia um homem de Ramataim-Zofim, na região montanhosa de Efraim, chamado Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, efraimita.
  • 2"Ele tinha duas mulheres: uma se chamava Ana, e a outra, Penina. Penina tinha filhos; Ana, porém, não tinha."
  • 3Todos os anos, esse homem subia da sua cidade para adorar e sacrificar ao SENHOR dos Exércitos em Siló, onde os dois filhos de Eli, Hofni e Fineias, serviam como sacerdotes do SENHOR.
  • 4"No dia em que Elcana oferecia sacrifício, costumava reparti-lo com sua mulher Penina e com todos os seus filhos e filhas;"
  • 5Porém dava uma porção em dobro a Ana, pois a amava, apesar de o SENHOR tê-la deixado estéril.
  • 6Mas sua rival a provocava muito, a fim de aborrecê-la, porque o SENHOR a havia deixado estéril.
  • 7Isso acontecia todo ano. Quando subiam à casa do SENHOR, Penina provocava Ana, que então chorava e ficava sem comer.
  • 8Então seu marido Elcana perguntou-lhe: Ana, por que choras? Por que não comes? Por que o teu coração está tão triste? Não sou melhor para ti do que dez filhos?
  • Ana roga a Deus um filho

  • 9Depois que comeram e beberam em Siló, Ana se levantou. Nessa ocasião, o sacerdote Eli estava sentado numa cadeira, junto a um pilar do templo do SENHOR.
  • 10Com a alma amargurada, Ana orou ao SENHOR, chorou muito
  • 11e fez o seguinte voto: Ó SENHOR dos Exércitos! Se deres atenção à aflição da tua serva, te lembrares de mim e não te esqueceres da tua serva, mas lhe deres um menino, eu o dedicarei ao SENHOR por todos os dias da sua vida, e navalha não passará pela cabeça dele.
  • 12Enquanto ela orava ao SENHOR, Eli observava os seus lábios.
  • 13"Como Ana orava em silêncio, seus lábios se moviam, mas não se ouvia sua voz; por isso, Eli pensou que ela estivesse embriagada."
  • 14E lhe disse: Até quando ficarás embriagada? Deixa de beber vinho.
  • 15"Mas Ana respondeu: Não, meu senhor; sou uma mulher angustiada; não bebi vinho nem bebida forte, mas derramei a minha alma diante do SENHOR."
  • 16Não penses que tua serva é uma mulher sem valor,* porque tenho falado até agora da minha grande ansiedade e aflição.
  • 17"Eli lhe respondeu: Vai-te em paz; e o Deus de Israel te conceda o pedido que lhe fizeste."
  • 18"Ela disse: Que a tua serva encontre graça diante de ti. Então a mulher seguiu o seu caminho e comeu; e sua aparência deixou de ser triste."
  • Nascimento e consagração de Samuel

  • 19Depois disso, levantando-se de madrugada, adoraram o SENHOR e voltaram para casa em Ramá. Elcana conheceu na intimidade Ana, sua mulher, e o SENHOR se lembrou dela.
  • 20Assim, Ana concebeu e, no tempo devido, teve um filho, ao qual chamou Samuel, pois ela dizia: Eu o pedi ao SENHOR.
  • 21Aquele homem, Elcana, subiu com toda a sua família para oferecer ao SENHOR o sacrifício anual e cumprir seu voto.
  • 22Ana, porém, não subiu, pois disse a seu marido: Quando o menino for desmamado, eu o levarei para apresentá-lo diante do SENHOR, para que fique lá para sempre.
  • 23"Elcana, seu marido, lhe disse: Faze o que bem te parecer; fica até que o desmames; apenas confirme o SENHOR a sua palavra. Então a mulher ficou e amamentou seu filho, até desmamá-lo."
  • 24Depois de desmamá-lo, quando o menino ainda era pequeno, ela o levou à casa do SENHOR em Siló, com um touro de três anos, um efa* de farinha e um recipiente de couro cheio de vinho.
  • 25Então sacrificaram o touro e apresentaram o menino a Eli.
  • 26E ela lhe disse: Ah, meu senhor! Tão certo como tu vives, meu senhor, sou aquela mulher que esteve aqui contigo, orando ao SENHOR.
  • 27Eu orava por este menino, e o SENHOR me concedeu o pedido que fiz.
  • 28"Por isso também o dedico ao SENHOR; ele está entregue ao SENHOR por todos os dias que viver. E ali adoraram o SENHOR."
  • O cântico de Ana

  • 1"Então Ana orou: Meu coração exulta no SENHOR; a minha força está exaltada por causa do SENHOR; a minha boca se ri dos meus inimigos, pois me alegro na tua salvação."
  • 2"Não há ninguém santo como o SENHOR; não há outro além de ti; não há rocha como o nosso Deus."
  • 3"Não faleis mais palavras tão altivas, nem a arrogância saia da vossa boca; porque o SENHOR é o Deus da sabedoria e julga os atos humanos."
  • 4Os arcos dos fortes estão quebrados, mas os fracos são revestidos de força.
  • 5"Os que tinham com fartura agora trabalham por comida, mas os famintos não passam mais fome; até a estéril teve sete filhos, mas a que tinha muitos filhos se enfraqueceu."
  • 6"O SENHOR é quem tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz ressurgir dali."
  • 7"O SENHOR faz empobrecer e enriquecer; abate e também exalta."
  • 8"Levanta o pobre do pó, ergue o necessitado do monte de cinzas, para fazê-los sentar entre os príncipes, para fazê-los herdar um trono de glória; porque as colunas da terra são do SENHOR; estabeleceu o mundo sobre elas."
  • 9Ele guardará os pés dos seus santos, mas os ímpios ficarão mudos nas trevas, pois não é pela força que o homem prevalecerá.
  • 10"Os que lutam contra o SENHOR serão despedaçados; trovejará desde os céus contra eles. O SENHOR julgará as extremidades da terra; dará força ao seu rei e exaltará o poder do seu ungido."
  • 11Então Elcana voltou para casa em Ramá. Porém o menino ficou servindo ao SENHOR, supervisionado pelo sacerdote Eli.
  • Os pecados dos filhos de Eli

  • 12"Os filhos de Eli eram ímpios; não se importavam* com o SENHOR. "
  • 13O costume desses sacerdotes para com o povo era o seguinte: quando alguém oferecia um sacrifício, estando a carne ainda cozinhando, o auxiliar do sacerdote vinha segurando um garfo de três dentes
  • 14"e o colocava na vasilha, ou no tacho, ou no caldeirão, ou na pane¬la; e o sacerdote tomava para si tudo quanto o garfo tirava. Assim procediam com todos os de Israel que iam para Siló."
  • 15E, antes de queimarem a gordura, o auxiliar do sacerdote vinha e dizia ao homem que sacrificava: Dá essa carne para o sacerdote assar, pois não receberá de ti carne cozida, mas crua.
  • 16"Se o homem lhe respondia: Deixa a gordura queimar primeiro e depois toma quanto desejares, ele lhe dizia: Tu me darás agora; do contrário eu a tomarei à força."
  • 17O pecado desses jovens era muito grave à vista do SENHOR, pois eles desprezavam a oferta do SENHOR.
  • O ministério de Samuel

  • 18Mas Samuel, ainda pequeno, ministrava diante do SENHOR, vestindo uma túnica de linho.
  • 19Todos os anos, sua mãe lhe fazia uma pequena túnica e a levava para ele quando subia com o marido para oferecer o sacrifício anual.
  • 20Então Eli abençoava Elcana e sua mulher assim: O SENHOR te dê filhos desta mulher em lugar do filho que dedicou ao SENHOR. E eles voltavam para casa.
  • 21O SENHOR visitou Ana, e ela engravidou. E teve três filhos e duas filhas. Enquanto isso, o menino Samuel crescia diante do SENHOR.
  • 22Eli já estava muito velho. Ele ficou sabendo de tudo quanto seus filhos faziam a todo o Israel, de como se deitavam com as mulheres que ministravam à porta da tenda da revelação.
  • 23Então lhes disse: Por que fazeis isso? Tenho ouvido de todo este povo sobre o vosso mau procedimento.
  • 24Não, meus filhos, os comentários que ouço se espalhando entre o povo do SENHOR não são bons.
  • 25"Se um homem pecar contra outro, Deus o julgará; mas se pecar contra o SENHOR, quem intercederá por ele? Mas eles não ouviram a voz do pai, pois o SENHOR queria matá-los."
  • 26E o menino Samuel continuava crescendo em estatura e em graça, tanto diante do SENHOR como diante dos homens.
  • Profecia contra a família de Eli

  • 27Então um homem de Deus foi até Eli e lhe disse: Assim diz o SENHOR: Na verdade não me revelei à família de teu pai, quando eles ainda estavam no Egito, sob o domínio do faraó?
  • 28"Eu o escolhi dentre todas as tribos de Israel para ser o meu sacerdote, para ministrar no meu altar, para queimar o incenso e para trazer o colete sacerdotal diante de mim; e dei todas as ofertas queimadas dos israelitas à família de teu pai."
  • 29Por que desprezais o meu sacrifício e a minha oferta, que ordenei se fizessem na minha morada? Por que honras teus filhos mais do que a mim, engordando-vos com o melhor de todas as ofertas do meu povo Israel?
  • 30Portanto, o SENHOR, o Deus de Israel, declara: Na verdade eu disse que a tua família e a família de teu pai me serviriam* para sempre. Mas agora o SENHOR diz: Longe de mim tal coisa, pois honrarei os que me honram, mas os que me desprezam serão desprezados.
  • 31Estão chegando os dias em que tirarei o teu poder e o poder* da família de teu pai. Não haverá mais idoso algum em tua família.
  • 32E verás aflição na minha morada. Apesar de toda a prosperidade que trarei sobre Israel, não haverá idoso algum em tua família.
  • 33"E aquele de tua linhagem a quem eu não eliminar do meu altar, ficará apenas para consumir os teus olhos de choro e te provocar tristeza; e todos os descendentes da tua família morrerão à espada.* "
  • 34O que acontecer com teus dois filhos, Hofni e Fineias, será um sinal para ti: ambos morrerão no mesmo dia.
  • 35E escolherei para mim um sacerdote fiel, que fará segundo o que está no meu coração e na minha mente. Eu lhe edificarei uma família duradoura, e ele ministrará para sempre diante do meu ungido.
  • 36"E todo aquele que ficar da tua família virá prostrar-se diante dele para conseguir uma moeda de prata e um pedaço de pão; e dirá: Suplico-te que me dês algum cargo sacerdotal, para que eu tenha algo para comer."
  • Deus fala com Samuel em sonhos

  • 1O menino Samuel continuava servindo ao SENHOR, supervisionado por Eli. Naqueles dias a palavra do SENHOR era muito rara, e as visões não eram frequentes.
  • 2Certo dia, Eli, cujos olhos estavam enfraquecendo a ponto de não conseguir enxergar, estava deitado no seu aposento.
  • 3A lâmpada de Deus ainda não havia se apagado, e Samuel também estava deitado no templo do SENHOR, onde estava a arca de Deus.
  • 4Então o SENHOR chamou: Samuel! Samuel! Ele respondeu: Aqui estou.
  • 5"E correu até Eli e disse: Aqui estou, pois me chamaste. Mas ele disse: Eu não te chamei; volta e deita-te. E ele foi e se deitou."
  • 6"O SENHOR chamou novamente: Samuel! E Samuel se levantou, foi até Eli e disse: Aqui estou, pois me chamaste. Mas ele disse: Eu não te chamei, filho meu; volta e deita-te."
  • 7Samuel ainda não conhecia o SENHOR, e a palavra do SENHOR ainda não lhe havia sido revelada.
  • 8Então o SENHOR chamou Samuel pela terceira vez. Ele se levantou, foi até Eli e disse: Aqui estou, pois me chamaste. Então Eli entendeu que o SENHOR estava chamando o menino.
  • 9E Eli disse a Samuel: Vai deitar-te, e se ele te chamar, diz: Fala, SENHOR, pois o teu servo ouve. Samuel foi e deitou-se no seu lugar.
  • 10Depois disso, o SENHOR voltou, permaneceu ali e chamou como das outras vezes: Samuel! Samuel! Então ele respondeu: Fala, porque o teu servo ouve.
  • 11Então o SENHOR disse a Samuel: Estou a ponto de fazer algo em Israel que fará tinir os ouvidos de todo aquele que o souber.
  • 12Naquele dia, agirei contra Eli, cumprindo tudo o que tenho dito a respeito da família dele, do início ao fim.
  • 13Porque já lhe disse que julgarei sua família para sempre, pois ele sabia do pecado de seus filhos, que blasfemavam* contra Deus, mas não os repreendeu.
  • 14Portanto, jurei à família de Eli que o seu pecado nunca mais será expiado, nem com sacrifícios, nem com ofertas.
  • Samuel conta a visão a Eli

  • 15"Samuel ficou deitado até de manhã; então abriu as portas da casa do SENHOR. Entretanto, Samuel tinha medo de contar a visão a Eli."
  • 16Mas Eli chamou Samuel e disse: Samuel, meu filho! E ele respondeu: Aqui estou.
  • 17"Eli perguntou-lhe: O que o SENHOR te falou? Não escondas nada de mim; Deus te castigue duramente, se esconderes de mim qualquer coisa de tudo o que te falou."
  • 18Samuel contou-lhe tudo, sem esconder nada. Então Eli disse: Ele é o SENHOR, faça o que bem parecer aos seus olhos.
  • 19Samuel crescia, e o SENHOR estava com ele e não deixou falhar* nenhuma de todas as suas palavras.
  • 20E todo o Israel, desde Dã até Berseba, reconheceu que Samuel estava confirmado como profeta do SENHOR.
  • 21O SENHOR voltou a aparecer em Siló, porque ali o SENHOR se manifestava a Samuel pela sua palavra.
  • 1A palavra de Samuel se espalhava por todo o Israel. Israel saiu à batalha contra os filisteus e acampou perto de Ebenézer, enquanto os filisteus acamparam junto a Afeque.
  • 2"Os filisteus se dispuseram em ordem de batalha contra Israel; e, travado o combate, Israel foi derrotado pelos filisteus, que mataram cerca de quatro mil homens no campo de batalha."
  • 3Quando o povo voltou ao acampamento, os anciãos de Israel disseram: Por que o SENHOR nos feriu hoje diante dos filisteus? Tragamos a arca da aliança do SENHOR que está em Siló, para que ela venha ao nosso meio e nos livre da mão de nossos inimigos.
  • 4"Então o povo mandou trazer de Siló a arca da aliança do SENHOR dos Exércitos, que está entre os querubins; e os dois filhos de Eli, Hofni e Fineias, acompanhavam a arca da aliança de Deus."
  • A arca da aliança é tomada

  • 5Quando a arca da aliança do SENHOR chegou ao acampamento, todo o Israel começou a gritar bem alto, até que a terra tremeu.
  • 6Quando os filisteus ouviram o som dos gritos, disseram: Que quer dizer este grande barulho no acampamento dos hebreus? Quando souberam que a arca do SENHOR havia chegado ao acampamento,
  • 7os filisteus ficaram amedrontados e diziam: Os deuses vieram ao acampamento. Diziam mais: Ai de nós! Nunca aconteceu tal coisa antes.
  • 8Ai de nós! Quem nos livrará da mão desses poderosos deuses? Esses são os deuses que feriram aos egípcios com todo tipo de pragas no deserto.
  • 9"Ó filisteus, sede fortes e corajosos para que não venhais a ser escravos dos hebreus, como eles foram de vós; sede homens e lutai."
  • 10Então os filisteus atacaram, e Israel foi derrotado, fugindo cada um para sua tenda. Houve grande matança, pois foram mortos trinta mil homens de infantaria de Israel.
  • 11A arca de Deus também foi levada, e os dois filhos de Eli, Hofni e Fineias, foram mortos.
  • A morte de Eli

  • 12Então um homem de Benjamim, correndo do campo de batalha, chegou no mesmo dia a Siló, com as roupas rasgadas e coberto de terra.
  • 13Quando ele chegou a Siló, Eli estava atento, assentado numa cadeira na beira do caminho, porque seu coração estava ansioso por causa da arca de Deus. E quando aquele homem chegou e contou isto na cidade, a cidade toda rompeu em lamentos.
  • 14Ouvindo os lamentos, Eli perguntou: Que é este alvoroço? Então o homem, apressando-se, chegou e contou a Eli.
  • 15Eli tinha noventa e oito anos, e os seus olhos estavam parados, de modo que já não enxergava.
  • 16Então aquele homem disse a Eli: Estou vindo do campo de batalha, de onde fugi hoje mesmo. Eli perguntou: Que foi que aconteceu, meu filho?
  • 17"Então aquele que trazia as notícias respondeu: Israel fugiu dos filisteus, e houve grande matança entre o povo; além disso, teus dois filhos, Hofni e Fineias, também foram mortos, e a arca de Deus foi levada."
  • 18Quando ele mencionou a arca de Deus, Eli caiu da cadeira para trás, perto da porta, e quebrou o pescoço e morreu, porque era velho e pesado. Ele foi juiz em Israel durante quarenta anos.
  • A morte da mulher de Fineias

  • 19"Sua nora, a mulher de Fineias, estava grávida e prestes a dar à luz; quando ouviu a notícia de que a arca de Deus havia sido levada e de que seu sogro e seu marido estavam mortos, ela se encurvou e deu à luz, por causa das dores que teve."
  • 20Quando estava morrendo, as mulheres que estavam com ela disseram: Não temas, pois tiveste um filho. Porém ela não respondeu, nem deu atenção a isso.
  • 21Mas deu ao menino o nome de Icabode, dizendo: A glória se foi de Israel! Porque a arca de Deus havia sido levada e por causa de seu sogro e de seu marido.
  • 22E disse: A glória se foi de Israel, pois a arca de Deus foi levada.
  • A arca da aliança na terra dos filisteus

  • 1Os filisteus tomaram a arca de Deus e a levaram de Ebenézer para Asdode.
  • 2E, tomando a arca de Deus, os filisteus a colocaram no templo de Dagom, junto a Dagom.
  • 3"No dia seguinte, quando os habitantes de Asdode se levantaram de madrugada, Dagom estava caído com o rosto em terra diante da arca do SENHOR; então levantaram Dagom e o puseram de volta no seu lugar."
  • 4Mas, quando se levantaram de madrugada no dia seguinte, Dagom estava caído com o rosto em terra diante da arca do SENHOR. A cabeça de Dagom e as duas mãos estavam cortadas sobre a soleira, restando apenas o tronco de Dagom.
  • 5Por isso, até o dia de hoje, nem os sacerdotes de Dagom, nem todos os que entram no templo de Dagom em Asdode, pisam na soleira de Dagom.
  • 6Entretanto, a mão do SENHOR pesou sobre os habitantes de Asdode e seus arredores, e os assolou, afligindo-os com tumores.
  • 7Quando os homens de Asdode viram isso, disseram: Que a arca do Deus de Israel não fique conosco, pois a sua mão pesou sobre nós e sobre nosso deus Dagom.
  • 8Por isso, mandaram reunir todos os chefes dos filisteus e disseram: Que faremos com a arca do Deus de Israel? Responderam: Que ela seja levada para Gate. Assim levaram a arca do Deus de Israel para lá.
  • 9"Mas depois que a levaram para lá, a mão do SENHOR castigou a cidade, causando grande pânico; pois feriu os homens da cidade, desde o menor até o maior, e lhes nasceram tumores."
  • 10Então enviaram a arca de Deus a Ecrom. Mas, quando a arca de Deus chegou a Ecrom, os moradores de Ecrom exclamaram: Trouxeram a arca do Deus de Israel para matar a nós e ao nosso povo.
  • 11Mandaram reunir todos os chefes dos filisteus e disseram: Tirai daqui a arca do Deus de Israel e devolvei-a ao seu lugar, para que não mate a nós e ao nosso povo. Porque toda a cidade estava aterrorizada, e a mão de Deus pesava muito sobre ela.
  • 12"Pois os homens que não morriam eram feridos com tumores; de modo que o clamor do povo da cidade chegava até o céu."
  • Os filisteus devolvem a arca da aliança

  • 1A arca do SENHOR ficou na terra dos filisteus por sete meses.
  • 2Então os filisteus chamaram os sacerdotes e os adivinhadores para dizer-lhes: Que faremos com a arca do SENHOR? Dizei como devemos devolvê-la ao seu lugar.
  • 3"Eles responderam: Se devolverdes a arca do Deus de Israel, não a mandeis sem nada, mas deveis enviar uma oferta pela culpa; então sereis curados e ficareis sabendo por que o poder divino vos atinge.* "
  • 4Então perguntaram: Que oferta pela culpa devemos enviar? Eles responderam: Cinco tumores de ouro e cinco ratos de ouro, de acordo com o número dos chefes dos filisteus, porque a praga é uma e a mesma sobre todos vós e sobre todos os vossos chefes.
  • 5Fazei imagens dos vossos tumores e dos ratos que andam destruindo a terra, e dai glória ao Deus de Israel. Talvez ele alivie o peso da sua mão de cima de vós, de vosso deus e da vossa terra.
  • 6Por que endureceríeis o coração, como fizeram os egípcios e o faraó? Depois do castigo divino, não deixaram ir o povo, que por fim se foi?
  • 7Agora, fazei uma carroça nova, tomai duas vacas com crias, sobre as quais nunca foi posto jugo, amarrai-as à carroça e separai os bezerros delas, deixando-os no curral.
  • 8"Tomai a arca do SENHOR e colocai-a na carroça; colocai também um cofre ao seu lado com as joias de ouro que devereis oferecer ao SENHOR como ofertas pela culpa; e assim deixai-a ir."
  • 9"Observai então: se ela subir em direção ao seu território, a Bete-Semes, foi ele quem nos enviou este grande castigo; mas, se não, saberemos que não foi a sua mão que nos feriu, e que isto nos sucedeu por acaso."
  • A arca é devolvida com presentes

  • 10"Assim fizeram aqueles homens: tomaram duas vacas com crias, amarraram-nas à carroça e fecharam os bezerros no curral;"
  • 11também puseram a arca do SENHOR sobre a carroça, bem como o cofre com os ratos de ouro e com as imagens dos seus tumores.
  • 12"Então as vacas foram caminhando diretamente em direção a Bete-Semes, seguindo a estrada, andando e berrando, sem se desviarem nem para a direita nem para a esquerda; e os chefes dos filisteus foram seguindo-as até o território de Bete-Semes."
  • 13Os moradores de Bete-Semes estavam colhendo o trigo no vale e se alegraram quando viram a arca.
  • 14Ao chegar ao campo de Josué, em Bete-Semes, a carroça parou ali, onde havia uma grande pedra. Cortaram a madeira da carroça e ofereceram as vacas ao SENHOR em sacrifício.
  • 15"Então os levitas desceram a arca do SENHOR, e também o cofre com as joias de ouro que estava junto a ela, e os puseram sobre a grande pedra; e no mesmo dia os homens de Bete-Semes ofereceram holocaustos e sacrifícios ao SENHOR."
  • 16Quando os cinco chefes dos filisteus viram aquilo, voltaram para Ecrom no mesmo dia.
  • 17Estes são os tumores de ouro que os filisteus enviaram ao SENHOR como oferta pela culpa: um por Asdode, um por Gaza, outro por Asquelom, outro por Gate e outro por Ecrom.
  • 18Assim como os ratos de ouro, de acordo com o número de todas as cidades dos filisteus, pertencentes aos cinco chefes, desde as cidades fortificadas até os povoados campestres. A grande pedra sobre a qual puseram a arca do SENHOR é testemunha disso, pedra que ainda está até o dia de hoje no campo de Josué, em Bete-Semes.
  • A arca chega a Quiriate-Jearim

  • 19"O SENHOR feriu os homens de Bete-Semes, porque olharam para dentro da arca do SENHOR; feriu setenta* homens do povo; então o povo se entristeceu, porque o SENHOR o havia ferido com tão grande matança. "
  • 20Os homens de Bete-Semes disseram: Quem poderia permanecer diante do SENHOR, este Deus santo? A quem enviaremos para que se afaste de nós?
  • 21"Enviaram mensageiros aos habitantes de Quiriate-Jearim, para lhes dizer: Os filisteus devolveram a arca do SENHOR; vinde e levai-a para vós."
  • 1"Os homens de Quiriate-Jearim vieram, levaram a arca do SENHOR e a colocaram na casa de Abinadabe, na colina; e consagraram seu filho Eleazar para que guardasse a arca do SENHOR."
  • 2A arca ficou muito tempo em Quiriate-Jearim, chegando a vinte anos. E todo o povo de Israel lamentava ao SENHOR.
  • Samuel chama o povo ao arrependimento

  • 3"E Samuel falou a todo o povo de Israel: Se quereis voltar ao SENHOR com toda sinceridade, lançai fora os deuses estrangeiros e as astarotes, dedicai o coração ao SENHOR e cultuai somente a ele; e ele vos livrará da mão dos filisteus."
  • 4Os israelitas lançaram fora os baalins e as astarotes, e cultuaram somente o SENHOR.
  • Israel derrota os filisteus

  • 5Samuel também disse: Reuni todo o Israel em Mispá, e intercederei por vós junto ao SENHOR.
  • 6"Eles se reuniram em Mispá, tiraram água e a derramaram diante do SENHOR; jejuaram aquele dia, e ali confessaram: Pecamos contra o SENHOR. E Samuel julgava os israelitas em Mispá."
  • 7Quando os filisteus ouviram que os israelitas estavam reunidos em Mispá, os chefes dos filisteus subiram para atacar Israel. Os israelitas temeram quando souberam disso.
  • 8E disseram a Samuel: Não cesses de clamar ao SENHOR, nosso Deus, por nós, para que nos livre das mãos dos filisteus.
  • 9"Então Samuel pegou um cordeiro que ainda mamava e o ofereceu inteiro em holocausto ao SENHOR; e Samuel clamou ao SENHOR por Israel, e o SENHOR o atendeu."
  • 10"Enquanto Samuel oferecia o holocausto, os filisteus chegaram para atacar a Israel; mas naquele dia o SENHOR trovejou com grande estrondo sobre os filisteus, e os destruiu, de modo que foram derrotados pelos israelitas."
  • 11Os homens de Israel saíram de Mispá, perseguiram os filisteus e os feriram até abaixo de Bete-Car.
  • 12"Então Samuel tomou uma pedra e a pôs entre Mispá e Sem, e lhe chamou Ebenézer; e disse: Até aqui nos ajudou o SENHOR."
  • 13Assim os filisteus foram subjugados e não vieram mais ao território de Israel, porque a mão do SENHOR foi contra os filisteus durante os dias de Samuel.
  • 14As cidades que os filisteus haviam conquistado foram devolvidas a Israel, desde Ecrom até Gate, cujos territórios Israel também tomou dos filisteus. E houve paz entre Israel e os amorreus.
  • 15Samuel julgou Israel todos os dias da sua vida.
  • 16De ano em ano, percorria Betel, Gilgal e Mispá, julgando Israel em cada um desses lugares.
  • 17"Depois voltava a Ramá, onde estava a sua casa, e ali julgava Israel; e edificou ali um altar ao SENHOR."
  • Os israelitas pedem um rei

  • 1Quando Samuel envelheceu, designou seus filhos como juízes de Israel.
  • 2Seu filho primogênito chamava-se Joel, e o segundo Abias. Eles julgavam em Berseba.
  • 3"Porém seus filhos não andaram nos caminhos dele, mas se tornaram gananciosos; recebiam suborno e pervertiam a justiça."
  • 4Então todos os anciãos de Israel se reuniram e foram encontrar-se com Samuel em Ramá,
  • 5e lhe disseram: Tu já estás velho, e teus filhos não andam nos teus caminhos. Constitui-nos agora um rei para nos julgar, como o têm todas as nações.
  • 6Mas Samuel não se agradou quando disseram: Dá-nos um rei para nos julgar. Então Samuel orou ao SENHOR.
  • 7E o SENHOR disse a Samuel: Atende ao povo em tudo quanto te pedir, pois não é a ti que rejeita, mas a mim, para que eu não reine sobre ele.
  • 8Assim como fez desde o dia em que o tirei do Egito até o dia de hoje: ele me abandonou e cultuou a outros deuses. Assim também faz a ti.
  • 9Atende-o agora, mas adverte-o solenemente e declara-lhe quais serão os direitos do rei que reinará sobre ele.
  • 10Samuel transmitiu todas as palavras do SENHOR ao povo que lhe havia pedido um rei,
  • 11"e disse: Este será o direito do rei que reinará sobre vós: ele tomará os vossos filhos e os porá sobre os seus carros para serem seus cavaleiros e para correrem adiante dos seus carros;"
  • 12e os porá por chefes de mil e chefes de cinquenta, para lavrarem seus campos, fazerem suas colheitas e fabricarem suas armas de guerra e os equipamentos de seus carros.
  • 13Tomará as vossas filhas para serem perfumistas, cozinheiras e padeiras.
  • 14Tomará o melhor das vossas terras, das vossas vinhas e dos vossos olivais, e o dará aos seus servos.
  • 15Tomará o dízimo das vossas sementes e das vossas vinhas para dar aos seus oficiais e aos seus servos.
  • 16Também tomará vossos servos e vossas servas, vossos melhores jovens, e vossos jumentos, e os empregará no seu trabalho.
  • 17"Tomará o dízimo do vosso rebanho; e vós lhe servireis de escravos."
  • 18"Então clamareis naquele dia por causa do vosso rei, que vós mesmos escolhestes; mas o SENHOR não vos ouvirá."
  • 19Porém o povo não quis ouvir a voz de Samuel. E disseram: Não importa! Queremos um rei sobre nós,
  • 20para que sejamos como todas as demais nações, e para que o nosso rei nos julgue, nos lidere e lute em nossas batalhas.
  • 21Samuel ouviu todas as palavras do povo e as repetiu aos ouvidos do SENHOR.
  • 22O SENHOR disse a Samuel: Atende-o e constitui-lhe um rei. Então Samuel disse aos homens de Israel: Volte cada um para sua cidade.
  • Saul encontra as jumentas extraviadas

  • 1"Havia um homem de Benjamim, cujo nome era Quis, filho de Abiel, filho de Zeror, filho de Becorate, filho de Afias, filho de um benjamita; ele era poderoso e rico."
  • 2"E tinha um filho chamado Saul, jovem e de bela aparência; nenhum homem era como ele entre os israelitas; era o mais alto de todo o povo, os outros chegavam aos seus ombros."
  • 3"As jumentas de Quis, pai de Saul, haviam se extraviado; então Quis disse a seu filho Saul: Leva agora contigo um dos rapazes, levanta-te e vai procurar as jumentas."
  • 4"Eles passaram pela região montanhosa de Efraim, e também pela terra de Salisa, mas não as acharam; depois passaram pela terra de Saalim, porém não estavam ali também; passaram ainda pela terra de Benjamim, mas não as acharam."
  • 5Quando passavam pela terra de Zufe, Saul disse ao rapaz que estava com ele: Vem! Voltemos, para que não aconteça de meu pai se esquecer das jumentas e passar a se preocupar conosco.
  • 6"Mas ele lhe disse: Nesta cidade há um homem de Deus muito respeitado; tudo quanto diz acontece infalivelmente. Vamos até lá; talvez ele nos mostre o caminho que devemos seguir."
  • 7Então Saul disse ao rapaz: Mas, se formos até lá, o que levaremos ao homem? Pois o alimento de nossas bolsas já acabou, e não temos presente para levar ao homem de Deus. O que teríamos?
  • 8O rapaz tornou a responder a Saul: Eu ainda tenho um quarto de um siclo* de prata, que poderei dar ao homem de Deus, para que nos mostre o caminho.
  • 9"(Antigamente em Israel, quando alguém ia consultar a Deus, dizia: Vinde, vamos ao vidente; porque naquela época o profeta se chamava vidente.)"
  • 10Então Saul disse ao rapaz: Muito bem, vamos, então! E foram à cidade onde o homem de Deus morava.
  • 11Quando iam chegando à cidade, encontraram algumas moças que saíam para tirar água e lhes perguntaram: O vidente está aqui?
  • 12"Elas responderam: Sim, está ali adiante; mas apressa-te, porque chegou hoje à cidade, pois o povo vai sacrificar hoje no altar que está na colina."
  • 13"Quando entrardes na cidade, logo o encontrareis, antes que ele suba ao altar da colina para comer; pois o povo não comerá até que ele chegue, porque é ele quem abençoa o sacrifício, e depois os convidados comem. Subi agora, pois o encontrareis a esta hora."
  • 14Então eles subiram à cidade e, ao entrarem, Samuel os encontrou, quando saía para sacrificar no altar da colina.
  • Samuel encontra Saul

  • 15Um dia antes de Saul chegar, o SENHOR havia revelado isto a Samuel:
  • 16"Amanhã a estas horas te enviarei um homem da terra de Benjamim; tu o ungirás como príncipe sobre o meu povo Israel; ele livrará o meu povo da mão dos filisteus, pois atentei para o meu povo, porque o seu clamor chegou a mim."
  • 17Quando Samuel viu Saul, o SENHOR lhe disse: Este é o homem sobre quem te falei. Ele governará o meu povo.
  • 18Então Saul se aproximou de Samuel na porta e disse: Por favor, mostra-me onde o vidente mora.
  • 19"Samuel respondeu a Saul: Eu sou o vidente; acompanha-me até o monte, porque comereis hoje comigo; poderás ir pela manhã, e te declararei tudo quanto está no teu coração."
  • 20E não te preocupes com as jumentas que perdeste há três dias, pois já foram achadas. Mas a quem pertencerão todas as preciosidades de Israel? Por acaso não são para ti e para toda a família de teu pai?
  • 21Então Saul respondeu: Por acaso não sou eu benjamita, da menor das tribos de Israel? E a minha família não é a menor de todas as famílias da tribo de Benjamim? Por que me falas dessa maneira?
  • 22Porém Samuel, pegando Saul e o rapaz, levou-os à sala e deu-lhes o primeiro lugar entre os convidados, que eram cerca de trinta homens.
  • 23Então Samuel disse ao cozinheiro: Traze a porção que te entreguei e pedi que a separasse.
  • 24O cozinheiro pegou a coxa do animal, com o que havia nela, e colocou-a diante de Saul. E Samuel disse: Aqui está o que foi reservado. Come, pois te foi guardado para esta ocasião, para que o comesses com os convidados. Assim, Saul comeu com Samuel naquele dia.
  • 25Depois disso, desceram do monte para a cidade, e Samuel falou com Saul no terraço.
  • 26Eles se levantaram de madrugada, quase ao nascer do sol, pois Samuel chamou Saul, que estava no terraço: Levanta-te para que eu te acompanhe até a saída. Saul se levantou, e os dois saíram, ele e Samuel.
  • 27Quando desciam para a saída da cidade, Samuel disse a Saul: Fala ao rapaz que passe adiante de nós. O rapaz passou, e Samuel disse: Tu, porém, espera aqui e te farei ouvir a palavra de Deus.
  • Samuel unge Saul como rei de Israel

  • 1Então Samuel pegou um vaso com azeite e o derramou sobre a cabeça de Saul. E o beijou e disse: Por acaso o SENHOR não te ungiu para seres príncipe sobre a sua herança?
  • 2Hoje, quando partires, encontrarás dois homens junto ao túmulo de Raquel, no território de Benjamim, em Zelza. Eles te dirão: Acharam as jumentas que procuravas, e o teu pai não está mais preocupado com as jumentas, mas anda aflito por tua causa, dizendo: Que farei por meu filho?
  • 3Então passarás dali adiante e chegarás ao carvalho de Tabor, onde três homens que estarão subindo para cultuar a Deus em Betel te encontrarão, um deles levando três cabritos, outro, três pães, e o outro, um recipiente de couro cheio de vinho.
  • 4Eles te cumprimentarão e te darão dois pães, que receberás das mãos deles.
  • 5"Depois chegarás à colina de Deus, onde há um posto militar dos filisteus; ao entrares ali na cidade, encontrarás um grupo de profetas descendo do monte, e na frente deles haverá alguns tocando saltérios, tambores, flautas e harpas. Eles estarão se manifestando como profetas."
  • 6"O Espírito do SENHOR se apoderará de ti, e terás manifestações proféticas com eles; e serás transformado em outro homem."
  • 7Quando esses sinais se cumprirem, faze o que achares melhor, pois Deus é contigo.
  • 8Porém tu descerás antes de mim para Gilgal, e eu descerei ao teu encontro para oferecer holocaustos e sacrifícios de ofertas pacíficas. Esperarás sete dias, até que eu chegue e te declare o que deverás fazer.
  • Saul entre os profetas

  • 9"Quando Saul virou as costas para separar-se de Samuel, Deus mudou o seu coração; e todos esses sinais se cumpriram naquele mesmo dia."
  • 10"Quando eles iam chegando ao monte, um grupo de profetas saiu ao encontro deles; e o Espírito de Deus se apoderou de Saul, e ele teve manifestações proféticas no meio deles."
  • 11Quando viram que ele tinha manifestações proféticas com os profetas, todos os que o haviam conhecido antes diziam uns aos outros: O que aconteceu com o filho de Quis? Saul também está entre os profetas?
  • 12Então um homem dali respondeu: Pois quem é o pai deles? De modo que isso se tornou em provérbio: Saul também está entre os profetas?
  • 13Depois que ele terminou de profetizar, foi ao monte.
  • 14Então o tio de Saul perguntou a ele e ao rapaz: Aonde fostes? Ele respondeu: Fui procurar as jumentas, mas, não conseguindo encontrá-las, fomos consultar Samuel.
  • 15O tio de Saul falou ainda: Peço-te que me contes o que Samuel vos disse.
  • 16Saul respondeu a seu tio: Ele nos declarou com segurança que as jumentas haviam sido encontradas. Mas não lhe disse nada quanto ao assunto do reino, sobre o qual Samuel havia falado.
  • O povo escolhe Saul como rei

  • 17"Então Samuel convocou o povo ao SENHOR em Mispá;"
  • 18e disse aos israelitas: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Fiz Israel subir do Egito e vos livrei da mão dos egípcios e da mão de todos os reinos que vos oprimiam.
  • 19Mas hoje rejeitastes o vosso Deus, aquele que vos livrou de todos os vossos males e angústias, e lhe dissestes: Põe um rei sobre nós. Portanto, colocai-vos agora diante do SENHOR, segundo as vossas tribos e segundo os vossos clãs.
  • 20Tendo Samuel reunido todas as tribos de Israel, foi escolhida a tribo de Benjamim.
  • 21Então fez a tribo de Benjamim se aproximar segundo as suas famílias. E foi escolhida a família de Matri, e dela foi escolhido Saul, filho de Quis. E o procuraram, mas ele não foi encontrado.
  • 22Por isso, voltaram a consultar o SENHOR: O homem ainda não veio para cá? E o SENHOR respondeu: Ele se escondeu no meio da bagagem.
  • 23"Então correram e o trouxeram de lá; e, quando ficou no meio do povo, era o mais alto; os outros chegavam aos seus ombros."
  • 24"Então Samuel disse a todo o povo: Aqui está aquele a quem o SENHOR escolheu; não há entre o povo ninguém que se compare a ele. Então todo o povo o aclamou, dizendo: Viva o rei!"
  • 25Samuel também declarou ao povo a lei do reino, escreveu-a num livro e o colocou diante do SENHOR. Então Samuel fez com que todo o povo saísse, cada um para sua casa.
  • 26"Saul também foi para casa em Gibeá; e com ele foram guerreiros cujo coração Deus havia tocado."
  • 27Mas alguns homens ímpios disseram: Como este homem pode nos livrar? E o menosprezaram e não lhe trouxeram presentes. Mas ele se fez como surdo.
  • Saul vence os amonitas

  • 1Então o amonita Naás subiu e sitiou Jabes-Gileade. E todos os homens de Jabes disseram a Naás: Faze aliança conosco, e te serviremos.
  • 2"Porém Naás, o amonita, lhes respondeu: Farei aliança convosco sob a condição de que o olho direito de todos vós seja arrancado; assim trarei humilhação a todo o Israel."
  • 3"Os anciãos de Jabes lhe disseram: Dá-nos sete dias, para que enviemos mensageiros por todo o território de Israel; e, se não houver quem nos livre, nós nos entregaremos a ti."
  • 4Quando os mensageiros chegaram a Gibeá de Saul, relataram essas coisas ao povo. Pelo que todo o povo levantou a voz e chorou.
  • 5Naquele momento, Saul voltava do campo trazendo o gado e perguntou: O que está acontecendo com o povo que chora? E contaram-lhe o que os homens de Jabes haviam dito.
  • 6Quando Saul ouviu isso, o Espírito de Deus se apoderou dele, e Saul ficou muito irado.
  • 7Então pegou uma junta de bois, cortou-os em pedaços e os enviou por todo o território de Israel por meio de mensageiros e disse: Assim se fará aos bois de quem não seguir Saul e Samuel. Então o temor do SENHOR caiu sobre o povo, e vieram unidos.
  • 8"Saul passou-lhes revista em Bezeque; e havia trezentos mil homens de Israel e trinta mil de Judá."
  • 9Então disseram aos mensageiros que haviam chegado: Assim direis aos homens de Jabes-Gileade: Amanhã, no calor do sol, sereis libertos. Os mensageiros vieram e anunciaram aos homens de Jabes, os quais se alegraram.
  • 10"E os homens de Jabes disseram aos amonitas: Amanhã nos entregaremos a vós; então nos fareis conforme tudo o que bem vos parecer."
  • 11"No dia seguinte, Saul dividiu o povo em três grupos; e entraram no acampamento dos amonitas durante a madrugada e os atacaram até o calor do dia. Os sobreviventes se espalharam de modo que não ficaram dois juntos."
  • 12Então o povo disse a Samuel: Quem são os que diziam: Será que Saul nos governará? Traze esses homens, para que os matemos.
  • 13Porém Saul disse: Hoje ninguém será morto, porque o SENHOR trouxe livramento a Israel neste dia.
  • 14Depois Samuel disse ao povo: Vinde, vamos a Gilgal e renovemos ali o reino.
  • 15"Então foram para Gilgal, onde constituíram rei a Saul diante do SENHOR, e imolaram sacrifícios de ofertas pacíficas diante do SENHOR; e Saul se alegrou muito ali com todos os homens de Israel."
  • O fim do ministério de Samuel

  • 1Então Samuel disse a todo o Israel: Eu atendi a tudo quanto pedistes e estabeleci um rei sobre vós.
  • 2"Agora, o rei está entre vós; quanto a mim, já estou velho e de cabelos brancos, e meus filhos estão convosco; eu vos tenho liderado desde a minha mocidade até o dia de hoje."
  • 3Eu estou aqui! Testemunhai contra mim diante do SENHOR e do seu ungido. De quem tomei um boi? Ou de quem tomei um jumento? Ou a quem defraudei? Ou a quem tenho oprimido? Ou da mão de quem tenho recebido suborno para encobrir os meus olhos com ele? Se fiz uma dessas coisas, eu vos restituirei.
  • 4Eles responderam: Em nada nos defraudaste, nem nos oprimiste, nem tomaste coisa alguma da mão de ninguém.
  • 5Ele lhes disse: O SENHOR é testemunha contra vós, e o seu ungido é hoje testemunha de que nada achastes na minha mão. Ao que o povo respondeu: Ele é testemunha.
  • 6Então Samuel disse ao povo: O SENHOR foi quem escolheu Moisés e Arão, e tirou vossos pais da terra do Egito.
  • 7Agora permanecei aqui, para que eu entre em juízo diante do SENHOR, com relação a todos os atos de justiça do SENHOR, que ele fez a vós e a vossos pais.
  • 8Quando Jacó entrou no Egito e vossos pais clamaram ao SENHOR, então o SENHOR enviou Moisés e Arão, que tiraram vossos pais do Egito, e os fizeram habitar neste lugar.
  • 9"Porém eles se esqueceram do SENHOR, seu Deus; e ele os entregou na mão de Sísera, comandante do exército de Hazor, e na mão dos filisteus, e na mão do rei de Moabe, os quais lutaram contra eles."
  • 10"Eles clamaram ao SENHOR e disseram: Pecamos, abandonando o SENHOR e servindo aos baalins e às astarotes; mas agora livra-nos da mão de nossos inimigos, e te serviremos."
  • 11Então o SENHOR enviou Jerubaal, e Baraque, e Jefté, e Samuel, e vos livrou da mão de vossos inimigos ao redor, e habitastes em segurança.
  • 12"Mas quando vistes que Naás, rei dos amonitas, vinha atacar-vos, dissestes a mim: Não! Reine sobre nós um rei; embora, o SENHOR, vosso Deus, fosse o vosso rei."
  • 13Agora, o rei que escolhestes e que pedistes está diante de vós e o SENHOR estabeleceu sobre vós um rei.
  • 14"Se temerdes o SENHOR, e o servirdes, e atenderdes à sua voz, e não fordes rebeldes às suas ordens, e se tanto vós como o rei que reina sobre vós seguirdes o SENHOR, vosso Deus, tudo vos irá bem;"
  • 15mas, se não atenderdes à voz do SENHOR, e fordes rebeldes às suas ordens, a mão do SENHOR será contra vós, como foi contra vossos pais.
  • 16Portanto, ficai agora aqui e vede esta grande coisa que o SENHOR vai fazer na vossa presença.
  • 17"Não é tempo da colheita do trigo? Clamarei ao SENHOR para que ele envie trovões e chuva; e sabereis e vereis que cometestes grande pecado diante do SENHOR quando pedistes para vós um rei."
  • 18"Então Samuel invocou o SENHOR, e o SENHOR enviou trovões e chuva naquele dia; por isso, todo o povo teve grande temor do SENHOR e de Samuel."
  • 19"Todo o povo disse a Samuel: Intercede pelos teus servos junto ao SENHOR, teu Deus, para que não morramos; porque acrescentamos este mal, de pedirmos para nós um rei, a todos os nossos pecados."
  • 20Então Samuel disse ao povo: Não temais. Vós cometestes todo este mal, mas não vos desvieis de seguir o SENHOR, mas servi-o de todo o coração.
  • 21Não vos desvieis para seguirdes ídolos inúteis, que não valem nada, e que também não vos livrarão, porque são inúteis.
  • 22"Pois o SENHOR não desamparará o seu povo, por amor ao seu grande nome; porque agradou ao SENHOR fazer de vós o seu povo."
  • 23"Quanto a mim, longe de mim pecar contra o SENHOR, deixando de interceder por vós; eu vos ensinarei o caminho bom e direito."
  • 24"Apenas temei o SENHOR e servi-o fielmente de todo o coração; pois vede quão grandiosas coisas vos fez."
  • 25Porém, se insistirdes em praticar o pecado, tanto vós como vosso rei morrerão.
  • Guerra entre os israelitas e os filisteus

  • 1"Saul tinha trinta* anos de idade quando começou a reinar; e, depois de reinar dois anos em Israel, "
  • 2"escolheu três mil homens de Israel; dois mil ficaram com ele em Micmás e no monte de Betel, e mil ficaram com Jônatas em Gibeá de Benjamim. Ele mandou o restante do povo de volta para suas tendas."
  • 3Jônatas atacou o posto dos filisteus que estava em Geba, e os filisteus ficaram sabendo disso. Saul mandou tocar a trombeta por toda a terra, dizendo: Saibam os hebreus!
  • 4Então todo o Israel ouviu dizer que Saul havia atacado o posto dos filisteus e que Israel agora era odiado pelos filisteus. Por isso, o povo foi convocado para se juntar a Saul em Gilgal.
  • 5Os filisteus se ajuntaram para atacar Israel com trinta mil carros, seis mil cavaleiros, e um exército de guerreiros como a areia que está à beira do mar. Eles subiram e acamparam em Micmás, ao oriente de Bete-Áven.
  • 6Quando os homens de Israel viram que estavam em apuros (pois o exército estava pressionado), esconderam-se nas cavernas, nos buracos, nas rochas, nos esconderijos subterrâneos e nas cisternas.
  • 7"E alguns dos hebreus passaram o Jordão e foram para a terra de Gade e Gileade; mas Saul ficou ainda em Gilgal, e todo o exército o seguia tremendo."
  • Saul oferece sacrifícios reprováveis

  • 8"Então ele esperou sete dias, de acordo com o que Samuel havia determinado; mas quando viu que Samuel não chegava a Gilgal, o exército deixou Saul e se dispersou."
  • 9Então Saul disse: Trazei-me aqui um holocausto e ofertas pacíficas. E ele ofereceu o holocausto.
  • 10"Mal havia acabado de oferecer o holocausto, Samuel chegou; e Saul foi até ele e o cumprimentou."
  • 11Então Samuel perguntou: Que fizeste? Saul respondeu: Vi que o exército estava me abandonando e se dispersando, e que tu não chegavas no tempo determinado, e que os filisteus já estavam reunidos em Micmás,
  • 12então eu disse: Agora os filisteus me atacarão em Gilgal, e eu ainda não busquei o favor do SENHOR. Assim me senti pressionado e ofereci o holocausto.
  • 13"Então Samuel disse a Saul: Agiste loucamente; não obedeceste ao mandamento que o SENHOR, teu Deus, te ordenou. O SENHOR teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre;"
  • 14"porém agora o teu reino não subsistirá; o SENHOR já encontrou para si um homem segundo o seu coração e já o destinou para ser príncipe sobre o seu povo, porque não obedeceste ao que o SENHOR te ordenou."
  • 15"Então Samuel se levantou e subiu de Gilgal a Gibeá de Benjamim. Saul contou o povo que se achava com ele; eram cerca de seiscentos homens."
  • 16Saul, seu filho Jônatas e o povo que se achava com eles, ficaram em Gibeá de Benjamim, mas os filisteus haviam acampado em Micmás.
  • 17Então os saqueadores saíram do acampamento dos filisteus em três companhias: uma das companhias foi em direção a Ofra, na região de Sual,
  • 18outra foi em direção a Bete-Horom, e a outra em direção à região próxima ao vale de Zeboim, em direção ao deserto.
  • 19Em toda a terra de Israel, não se achava um só ferreiro, porque os filisteus haviam dito: Os hebreus não farão nem espada nem lança.
  • 20Por isso, todos os israelitas tinham que ir aos filisteus para afiar suas relhas, enxadas, machados e foices.
  • 21Custava dois terços de um siclo* para amolar foices e enxadas, e um terço de um siclo para amolar machados e aguilhadas.
  • 22Assim, no dia da batalha, os soldados de Saul e Jônatas não tinham espada nem lança, exceto Saul e seu filho Jônatas.
  • 23Uma guarnição dos filisteus saiu para o desfiladeiro de Micmás.
  • Jônatas derrota os filisteus

  • 1Um dia, Jônatas, filho de Saul, disse ao seu escudeiro: Vem, vamos até a guarnição dos filisteus, que está do outro lado. Mas não contou nada a seu pai.
  • 2"Saul estava na extremidade de Gibeá, debaixo do pé de romã que havia em Migrom; e havia cerca de seiscentos homens com ele."
  • 3"Entre eles estava Aías, filho de Aitube, irmão de Icabode, filho de Fineias, filho de Eli, sacerdote do SENHOR em Siló; ele levava o colete sacerdotal. E o povo não sabia que Jônatas havia ido."
  • 4"Em cada lado dos desfiladeiros pelos quais Jônatas procurava chegar à guarnição dos filisteus havia um penhasco; o nome de um era Bozez, e o nome do outro Sené."
  • 5Um deles estava ao norte, defronte de Micmás, e o outro ao sul, defronte de Gibeá.
  • 6"E Jônatas disse ao seu escudeiro: Vamos atravessar a guarnição desses incircuncisos; talvez o SENHOR nos defenda, porque nada impede o SENHOR de livrar com muitos ou com poucos."
  • 7"O seu escudeiro lhe respondeu: Faze tudo o que planejares; seguirei o que decidires."
  • 8Jônatas disse: Atravessemos até aqueles homens e deixemos que eles nos vejam.
  • 9"Se disserem: Parai até que vos alcancemos; ficaremos em nosso lugar e não subiremos até eles."
  • 10"Mas se eles disserem: Subi a nós; então subiremos, pois esse será o sinal para nós de que o SENHOR os entregou em nossas mãos."
  • 11Então os dois se deixaram ver pela guarnição dos filisteus, e os filisteus disseram: Os hebreus já estão saindo das cavernas onde haviam se escondido.
  • 12E os homens da guarnição disseram a Jônatas e ao seu escudeiro: Subi a nós, e vos daremos uma lição. E Jônatas disse ao escudeiro: Sobe atrás de mim, porque o SENHOR os entregou nas mãos de Israel.
  • 13"Então Jônatas subiu engatinhando, e o seu escudeiro atrás dele; e os filisteus caíam diante de Jônatas, e o seu escudeiro os matava atrás dele."
  • 14Neste primeiro ataque, Jônatas e seu escudeiro mataram cerca de vinte homens, dentro de meia-jeira* de terra.
  • 15"Então, houve temor no acampamento, no campo e em todo o povo; e a própria guarnição e os saqueadores estremeceram; e até a terra estremeceu; de modo que houve um grande pânico.* "
  • 16As sentinelas de Saul em Gibeá de Benjamim viram que os guerreiros se dispersavam, fugindo para cá e para lá.
  • 17Então Saul disse ao exército que estava com ele: Contai e vede quem é que saiu dentre nós: Eles contaram, e nem Jônatas nem o seu escudeiro estavam ali.
  • 18"Então Saul disse a Aías: Traze aqui a arca de Deus; pois naquele dia a arca de Deus estava com os israelitas."
  • 19"Quando Saul ainda estava falando com o sacerdote, o acampamento dos filisteus começou a ficar muito alvoroçado; então Saul disse ao sacerdote: Deixa por enquanto.* "
  • 20"Então Saul e todo o exército que estava com ele se reuniram e foram à luta; e viram que, entre os filisteus, cada um atacava o próximo, em pânico muito grande."
  • 21Os hebreus que antes estavam com os filisteus e haviam subido com eles ao acampamento também se ajuntaram aos israelitas que estavam com Saul e Jônatas.
  • 22Quando os israelitas que haviam se escondido na região montanhosa de Efraim ouviram que os filisteus fugiam, também entraram na batalha e os perseguiram.
  • 23Assim o SENHOR livrou Israel naquele dia, e a batalha passou além de Bete-Áven.
  • O voto impensado de Saul

  • 24Naquele dia, os israelitas já estavam exaustos, porque Saul havia feito o seguinte juramento ao povo: Maldito o homem que comer pão antes da tarde, antes que eu me vingue de meus inimigos. Por isso todo o exército deixou de comer.
  • 25Mas todo o exército chegou a um bosque, onde havia mel no chão.
  • 26Quando o exército chegou ao bosque e viu o mel escorrendo, ninguém pegou do mel, porque temia o juramento.
  • 27"Porém Jônatas não havia ouvido quando seu pai fez o juramento diante do exército; por isso estendeu a ponta da vara que trazia na mão e a molhou no favo de mel; e, quando pôs o mel na boca, seus olhos brilharam."
  • 28Então alguém do exército disse: Teu pai jurou solenemente diante do povo, dizendo: Maldito o homem que comer pão hoje. E o exército ainda estava exausto.
  • 29"Jônatas disse: Meu pai tem perturbado a terra; vede como meus olhos brilharam por ter provado um pouco deste mel."
  • 30A derrota dos filisteus não teria sido muito maior se o exército hoje tivesse comido livremente do despojo que achou dos inimigos?
  • 31Naquele dia, depois de ferir os filisteus, desde Micmás até Aijalom, o exército estava exausto.
  • 32"Então eles avançaram sobre o despojo; pegaram ovelhas, bois e bezerros, e os mataram no chão e os comeram com o sangue."
  • 33E contaram isto a Saul: o exército está pecando contra o SENHOR, comendo carne com sangue. Saul respondeu: Vós fostes infiéis. Trazei-me aqui já uma grande pedra.
  • 34"Saul disse mais: Dispersai-vos entre o povo e dizei-lhes: Trazei-me aqui cada um o seu boi, e cada um a sua ovelha, e matai-os aqui e comei; e não pequeis contra o SENHOR, comendo com sangue. Então todo o povo trouxe de noite, cada um o seu boi, e os mataram ali."
  • 35"Então Saul edificou um altar ao SENHOR; esse foi o primeiro altar que ele edificou ao SENHOR."
  • Jônatas é salvo pelo povo

  • 36Depois Saul disse: Desçamos de noite atrás dos filisteus, e vamos despojá-los até o amanhecer, e não deixemos nenhum sobrevivente. E o povo disse: Faze tudo o que bem te parecer. Porém o sacerdote disse: Cheguemo-nos a Deus aqui.
  • 37Então Saul consultou a Deus, dizendo: Descerei atrás dos filisteus? Tu os entregarás nas mãos de Israel? Porém Deus não lhe respondeu naquele dia.
  • 38"E Saul disse: Chegai-vos para cá, todos os chefes do exército; procurai saber que pecado foi cometido hoje;"
  • 39porque, assim como vive o SENHOR que salva a Israel, ainda que a culpa seja do meu filho Jônatas, ele será morto. Mas ninguém do exército lhe respondeu.
  • 40E ele disse mais a todo o Israel: Vós estareis de um lado, e eu e meu filho Jônatas estaremos do outro. Então o povo disse a Saul: Faze o que bem te parecer.
  • 41Saul então orou ao SENHOR, Deus de Israel: Mostra-nos a verdade. E a sorte caiu em Jônatas e Saul, e o exército saiu livre.
  • 42Então Saul disse: Lançai a sorte entre mim e meu filho Jônatas. E a sorte caiu em Jônatas.
  • 43"Então Saul disse a Jônatas: Conta-me o que fizeste. E Jônatas lhe contou: Provei, na verdade, um pouco de mel com a ponta da vara que trazia na mão; estou pronto a morrer."
  • 44Saul disse: Que Deus me castigue severamente se não morreres, Jônatas.
  • 45Mas o exército disse a Saul: Acaso deve morrer Jônatas, que trouxe tamanha libertação a Israel? De modo nenhum! Tão certo como o SENHOR vive, não caia no chão um só fio de cabelo da sua cabeça! Pois foi por Deus que ele fez isso hoje. Assim o povo livrou Jônatas da morte.
  • 46Então Saul deixou de perseguir os filisteus, e estes voltaram para o seu lugar.
  • 47"Quando Saul subiu ao trono de Israel, lutou contra todos os seus inimigos em redor: contra Moabe, contra os amonitas, contra Edom, contra os reis de Zobá e contra os filisteus; e vencia a todos que atacava."
  • 48Ele foi valente, derrotando os amalequitas, e libertando Israel da mão dos que o saqueavam.
  • 49Os filhos de Saul eram Jônatas, Isvi e Malquisua. Os nomes de suas duas filhas eram estes: a mais velha chamava-se Merabe, e a mais nova chamava-se Mical.
  • 50"O nome da mulher de Saul era Ainoã, filha de Aimaaz; e o nome do comandante do seu exército era Abner, filho de Ner, tio de Saul."
  • 51Quis, pai de Saul, e Ner, pai de Abner, eram filhos de Abiel.
  • 52"E houve grande guerra contra os filisteus durante o reinado de Saul; e sempre que Saul via algum homem forte e valente, o arregimentava."
  • A desobediência de Saul na guerra contra os amalequitas

  • 1Samuel disse a Saul: O SENHOR me enviou para te ungir rei sobre seu povo Israel. Ouve agora as palavras do SENHOR.
  • 2Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Castigarei os amalequitas por terem atacado Israel quando saía do Egito.
  • 3"Vai agora, ataca os amalequitas e os destrói totalmente com tudo o que tiverem. Nada poupes; matarás homens e mulheres, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos."
  • 4Então Saul convocou o exército e o contou em Telaim: duzentos mil homens de infantaria e mais dez mil de Judá.
  • 5Quando chegou à cidade de Amaleque, Saul armou uma emboscada no vale.
  • 6"E Saul disse aos queneus: Retirai-vos depressa do meio dos amalequitas, para que eu não vos destrua com eles; porque tivestes misericórdia de todos os israelitas, quando saíram do Egito. Então, os queneus se retiraram do meio dos amalequitas."
  • 7Então Saul feriu os amalequitas, desde Havilá até chegar a Sur, que está defronte do Egito.
  • 8E capturou vivo Agague, rei dos amalequitas, mas destruiu todo o povo ao fio da espada.
  • 9"Entretanto, Saul e o povo pouparam Agague, como também o melhor das ovelhas, dos bois e dos animais gordos, os cordeiros e tudo o que era bom; eles não os quiseram destruir totalmente, mas destruíram por completo tudo o que era inútil e desprezível."
  • Deus manda Samuel repreender Saul

  • 10Então a palavra do SENHOR veio a Samuel, dizendo:
  • 11Arrependo-me de ter posto Saul como rei, pois deixou de me seguir e não executou as minhas palavras. Então Samuel ficou indignado e clamou ao SENHOR a noite toda.
  • 12Samuel levantou-se de madrugada para encontrar-se com Saul. E disseram a Samuel: Saul já foi ao Carmelo, levantou uma coluna para si e voltou, descendo para Gilgal.
  • 13"Quando Samuel se encontrou com Saul, este lhe disse: Bendito do SENHOR sejas tu; já executei a palavra do SENHOR."
  • 14Então Samuel perguntou: Que quer dizer este balido de ovelhas que me chega aos ouvidos e o mugido de bois que ouço?
  • 15"Saul respondeu: Trouxeram dos amalequitas, porque o exército guardou o melhor das ovelhas e dos bois para oferecer ao SENHOR, teu Deus; porém destruímos o resto totalmente."
  • 16Então Samuel disse a Saul: Espera, e te direi o que o SENHOR me disse esta noite. Saul lhe respondeu: Fala.
  • 17Então Samuel prosseguiu: Embora consideres a ti mesmo pequeno, não foste colocado como líder das tribos de Israel? O SENHOR te ungiu rei sobre Israel!
  • 18"E o SENHOR te enviou nessa missão e disse: Vai e destrói totalmente esses pecadores, os amalequitas; luta contra eles até que sejam exterminados."
  • 19Por que não obedeceste ao SENHOR, mas te lançaste sobre o despojo e fizeste o que era mau diante do SENHOR?
  • 20"Então Saul respondeu a Samuel: Pelo contrário, eu obedeci ao SENHOR e cumpri a tarefa para a qual ele me enviou. Eu trouxe Agague, rei dos amalequitas, e destruí por completo os amalequitas;"
  • 21mas o exército tomou ovelhas e bois do despojo, o melhor do anátema,* para sacrificá-lo ao SENHOR, teu Deus, em Gilgal.
  • 22Mas Samuel disse: Por acaso o SENHOR tem tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua voz? Obedecer é melhor que oferecer sacrifícios, e o atender, melhor que a gordura de carneiros.
  • 23Pois a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação, como a maldade da idolatria. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou como rei.
  • 24"Então Saul disse a Samuel: Pequei, pois transgredi a ordem do SENHOR e as tuas palavras; porque temi o povo e dei ouvidos à sua voz."
  • 25Portanto, perdoa agora o meu pecado e volta comigo, para que eu adore o SENHOR.
  • 26"Mas Samuel disse a Saul: Não voltarei contigo; porque rejeitaste a palavra do SENHOR, ele te rejeitou como rei de Israel."
  • 27Quando Samuel se virou para sair, Saul agarrou-o pela barra da capa, e esta se rasgou.
  • 28Então Samuel lhe disse: Hoje o SENHOR rasgou de ti o reino de Israel e o deu ao teu próximo, que é melhor do que tu.
  • 29Além disso, o Glorioso de Israel não mente nem se arrepende, pois não é homem para que se arrependa.
  • 30"Saul respondeu: Pequei; mas honra-me agora diante dos anciãos do meu povo e diante de Israel; volta comigo, para que eu adore o SENHOR, teu Deus."
  • 31Então Samuel voltou, foi com Saul, e este adorou o SENHOR.
  • Agague é morto

  • 32Então Samuel disse: Traze-me aqui Agague, rei dos amalequitas. E, confiante, Agague foi até ele e disse: Certamente já passou a amargura da morte.
  • 33Mas Samuel disse: Assim como a tua espada deixou mulheres sem filhos, também tua mãe ficará sem filhos entre as mulheres. E Samuel despedaçou Agague diante do SENHOR em Gilgal.
  • 34"Então Samuel partiu para Ramá; e Saul foi para casa em Gibeá de Saul."
  • 35E Samuel nunca mais viu Saul até o dia da sua morte, mas teve pena de Saul. E o SENHOR se arrependeu de ter colocado Saul como rei sobre Israel.
  • Deus manda Samuel ungir Davi como rei

  • 1"O SENHOR disse a Samuel: Até quando terás dó de Saul, tendo eu o rejeitado para que não reine sobre Israel? Enche o teu vaso de azeite e vem; eu te enviarei a Jessé, o belemita, porque escolhi um de seus filhos para ser rei."
  • 2Mas Samuel disse: Como poderei ir? Saul descobrirá e me matará. Então o SENHOR disse: Leva contigo uma bezerra e diz: Vim oferecer sacrifício ao SENHOR.
  • 3"Tu convidarás Jessé para o sacrifício, e eu te direi o que deverás fazer; ungirás para mim aquele que eu te indicar."
  • 4Samuel fez o que o SENHOR tinha dito. Ele chegou a Belém, e os líderes da cidade foram tremendo ao seu encontro e perguntaram: Tu vens em paz?
  • 5Ele respondeu: Venho em paz! Vim oferecer sacrifício ao SENHOR. Santificai-vos e vinde comigo ao sacrifício. Ele consagrou Jessé e seus filhos e os convidou para o sacrifício.
  • 6Quando entraram, Samuel viu Eliabe e pensou: Certamente este é o ungido do SENHOR.
  • 7"Mas o SENHOR disse a Samuel: Não dê atenção à aparência ou à altura dele, porque eu o rejeitei; porque o SENHOR não vê como o homem vê, pois o homem olha para a aparência, mas o SENHOR, para o coração."
  • 8Depois Jessé chamou Abinadabe e o apresentou a Samuel, que disse: O SENHOR não escolheu este.
  • 9"Então Jessé apresentou Samá; mas Samuel disse: O SENHOR também não escolheu este."
  • 10"Assim Jessé apresentou sete de seus filhos a Samuel; mas Samuel disse a Jessé: O SENHOR não escolheu nenhum destes."
  • 11E Samuel disse mais a Jessé: Estes são todos os teus filhos? Jessé respondeu: Ainda falta o mais novo, que está cuidando das ovelhas. Então Samuel disse a Jessé: Manda trazê-lo, porque não nos sentaremos para comer até que ele venha aqui.
  • 12Jessé mandou buscá-lo e o apresentou a Samuel. Ele era ruivo, de belos olhos e de boa aparência. Então o SENHOR disse: Levanta-te e unge-o, porque é este mesmo.
  • 13"Então Samuel pegou o vaso de azeite e o ungiu diante de seus irmãos; e, daquele dia em diante, o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi. Depois, Samuel se levantou e foi para Ramá."
  • Saul é atormentado por um espírito mau

  • 14O Espírito do SENHOR se retirou de Saul, e um espírito mau da parte do SENHOR o atormentava.
  • 15"E os servos de Saul lhe disseram: Há um espírito mau da parte de Deus te atormentando;"
  • 16"Senhor nosso, dá ordens a teus servos que estão na tua presença, que tragam um homem que saiba tocar harpa; e, quando o espírito mau da parte do SENHOR vier sobre ti, ele tocará a harpa, e te sentirás melhor."
  • 17Então Saul disse aos seus servos: Procurai um homem que toque bem e trazei-o a mim.
  • 18"Um dos jovens respondeu: Conheço um dos filhos de Jessé, o belemita, que sabe tocar bem; ele é forte, destemido, guerreiro, mestre nas palavras e de boa aparência; e o SENHOR está com ele."
  • 19Então Saul mandou dizer a Jessé: Envia-me teu filho Davi, o que cuida das ovelhas.
  • 20Jessé pegou um jumento carregado de pão, um cantil cheio de vinho e um cabrito, e os enviou a Saul por intermédio de seu filho Davi.
  • 21Assim Davi veio e se apresentou a Saul, que se agradou muito dele e o fez seu escudeiro.
  • 22Então Saul mandou dizer a Jessé: Deixa Davi continuar me servindo, pois eu me agradei dele.
  • 23"Quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi pegava a harpa e a dedilhava; então Saul sentia alívio e ficava melhor, e o espírito mau se retirava dele."
  • Guerra entre os israelitas e os filisteus

  • 1Os filisteus ajuntaram suas forças para a guerra e reuniram-se em Socó, que pertence a Judá, e acamparam em Efes-Damim, entre Socó e Azeca.
  • 2"Saul e os homens de Israel se reuniram e acamparam no vale de Elá; e prepararam o ataque contra os filisteus."
  • 3Os filisteus estavam em um monte, e os israelitas, em outro. Um vale os separava.
  • 4Então saiu um guerreiro do acampamento dos filisteus cujo nome era Golias, de Gate, que tinha seis côvados e um palmo de altura.*
  • 5Ele tinha um capacete de bronze na cabeça e vestia uma couraça de escamas de bronze, que pesava cinco mil siclos.*
  • 6Também usava caneleiras de bronze e um dardo de bronze nas costas.
  • 7A haste da sua lança parecia com o eixo de um tear, e a ponta da sua lança pesava seiscentos siclos de ferro. Seu escudeiro ia à sua frente.
  • 8Ele então parou e gritou às tropas de Israel: Por que armastes a batalha? Não sou eu filisteu, e vós, servos de Saul? Escolhei dentre vós um homem que me enfrente.
  • 9"Se ele puder lutar comigo e me matar, seremos vossos servos; mas, se eu o vencer e o matar, sereis nossos escravos e nos servireis."
  • 10"E o filisteu disse mais: Desafio hoje as tropas de Israel; mandai-me um homem para que nós dois lutemos."
  • 11Quando ouviram essas palavras do filisteu, Saul e todo o Israel ficaram muito desanimados e apavorados.
  • O gigante Golias provoca os israelitas

  • 12"Davi era filho de um efrateu, de Belém de Judá, cujo nome era Jessé; ele tinha oito filhos, e nos dias de Saul esse homem já era velho e avançado em idade entre os demais."
  • 13"Os três filhos mais velhos de Jessé haviam seguido Saul para a guerra; os nomes de seus três filhos que foram à guerra eram: Eliabe, o primogênito, Abinadabe, o segundo, e Samá, o terceiro."
  • 14"Davi era o mais novo; os três maiores seguiram Saul,"
  • 15mas Davi ia até Saul e voltava para cuidar das ovelhas de seu pai em Belém.
  • 16Durante quarenta dias, de manhã e à tarde, o filisteu se aproximava e se apresentava para a batalha.
  • 17Jessé disse a seu filho Davi: Pega para teus irmãos um efa* deste grão tostado e estes dez pães e corre a levá-los para teus irmãos no acampamento.
  • 18Leva também estes dez queijos ao chefe da unidade* deles. Vê como teus irmãos estão passando e traze notícias deles.
  • 19Eles estão com Saul e todos os homens de Israel no vale de Elá, lutando contra os filisteus.
  • 20Davi então se levantou de madrugada e, deixando as ovelhas com um pastor, pegou tudo e partiu, como Jessé lhe havia ordenado. E chegou ao acampamento quando o exército estava saindo para se posicionar para a batalha, em meio a gritos de guerra.
  • 21Os israelitas e os filisteus se posicionavam frente a frente para a batalha.
  • 22"Davi entregou o que havia trazido ao guarda dos suprimentos e correu para onde estavam as tropas; chegando ali, perguntou a seus irmãos se estavam bem."
  • 23"Enquanto conversava com eles, Golias, o guerreiro do exército filisteu de Gate, aproximou-se e os desafiou como de costume; e Davi ouviu isso."
  • 24Quando todos os soldados israelitas viam aquele guerreiro, fugiam dele apavorados.
  • 25E diziam: Vistes aquele guerreiro que veio? Ele veio para desafiar Israel. O rei recompensará com grandes riquezas quem o matar e lhe dará a sua filha por mulher, e isentará de impostos a casa de seu pai em Israel.
  • 26Então Davi falou aos homens que se achavam perto dele: Qual será a recompensa de quem matar esse filisteu e salvar a honra de Israel? Pois quem é esse filisteu incircunciso, para afrontar os exércitos do Deus vivo?
  • 27E os soldados repetiram-lhe aquela palavra, dizendo: Essa será a recompensa de quem o matar.
  • 28"Quando Eliabe, seu irmão mais velho, o ouviu conversando com aqueles homens, ficou furioso com Davi e disse: Por que vieste para cá e com quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Eu conheço o teu orgulho e a maldade do teu coração; pois desceste para ver a batalha."
  • 29Davi respondeu: Que fiz eu agora? Não posso nem conversar?
  • 30"Então se voltou para outro e repetiu suas perguntas; e o povo lhe respondeu como da primeira vez."
  • 31Então, depois de ouvirem o que Davi tinha dito, contaram a Saul, que mandou chamá-lo.
  • 32"Davi disse a Saul: Não deixes que ninguém se desanime por causa dele; teu servo lutará contra esse filisteu."
  • 33Porém Saul disse a Davi: Tu não poderás lutar contra esse filisteu, pois ainda és moço, e ele é guerreiro experiente desde a mocidade.
  • 34Então Davi disse a Saul: Teu servo cuidava das ovelhas de seu pai, e sempre que vinha um leão, ou um urso, e tomava um cordeiro do rebanho,
  • 35"eu o perseguia, e o matava, e arrancava-lhe da boca o cordeiro; quando ele tentava me atacar, eu o segurava pela barba e o feria até matá-lo."
  • 36O teu servo matava tanto o leão como o urso! Esse filisteu incircunciso será como um deles! Ele afrontou os exércitos do Deus vivo!
  • 37E Davi disse mais: O SENHOR, que me livrou das garras do leão e das garras do urso, me livrará da mão desse filisteu. Então Saul disse a Davi: Vai, e o SENHOR seja contigo.
  • 38Saul colocou sua própria armadura em Davi, pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze e o vestiu com uma couraça.
  • 39Davi pôs a espada sobre a armadura e tentou andar, mas não estava acostumado com aquilo. Então disse a Saul: Não consigo andar com isto, pois não estou acostumado. E Davi o tirou.
  • 40Então pegou o seu cajado, escolheu cinco pedras lisas de um riacho e as colocou na bolsa, no alforje de pastor que carregava. E aproximou-se do filisteu com a funda na mão.
  • Davi derrota o gigante Golias

  • 41O filisteu também vinha se aproximando de Davi, com o escudeiro à sua frente.
  • 42Quando olhou e viu Davi, jovem, ruivo e de boa aparência, o filisteu o desprezou.
  • 43E disse a Davi: Por acaso sou algum cachorro, para que venhas contra mim com pedaços de pau? E o filisteu amaldiçoou Davi pelos seus deuses.
  • 44E disse mais a Davi: Vem atacar-me, e entregarei teu corpo às aves do céu e aos animais selvagens.
  • 45"Mas Davi lhe respondeu: Tu vens me atacar com espada, lança e escudo; mas eu vou te atacar em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado."
  • 46"Hoje mesmo o SENHOR te entregará em minhas mãos; eu te ferirei e cortarei a tua cabeça. E hoje entregarei os cadáveres dos soldados filisteus às aves do céu e aos animais selvagens, para que toda a terra saiba que há Deus em Israel;"
  • 47"e para que todos que aqui se ajuntaram saibam que o SENHOR salva, não com espada, nem com lança; pois a batalha é do SENHOR, e ele vos entregará em nossas mãos."
  • 48Quando o filisteu se levantou e se aproximou para se defrontar com Davi, este foi correndo para o combate, para enfrentar o filisteu.
  • 49"Então Davi colocou a mão no alforje, tirou dali uma pedra e lançou-a com a funda, ferindo o filisteu na testa; a pedra se cravou na testa dele, e ele caiu com o rosto em terra."
  • Os filisteus batem em retirada

  • 50"Assim Davi venceu o filisteu com uma funda e uma pedra, ferindo-o e matando-o; e Davi não levou nem sequer uma espada na mão."
  • 51Davi então correu, colocou os pés sobre o filisteu, tomou-lhe a espada e, tirando-a da bainha, o matou, decepando-lhe a cabeça com ela. Quando viram que seu guerreiro estava morto, os filisteus fugiram.
  • 52"Então os soldados de Israel e de Judá levantaram-se gritando e perseguiram os filisteus até a entrada de Gate e até as portas de Ecrom; e os filisteus feridos caíram pelo caminho de Saraim até Gate e até Ecrom."
  • 53Então os israelitas voltaram da perseguição aos filisteus e saquearam seus acampamentos.
  • 54"Davi tomou a cabeça do filisteu e a levou para Jerusalém; mas guardou as armas dele na sua tenda."
  • 55Quando Saul viu Davi saindo para lutar com o filisteu, perguntou a Abner, o chefe do exército: Abner, de quem esse jovem é filho? Abner respondeu: Ó rei, tão certo como tu vives, não sei.
  • 56Então o rei disse: Pergunta de quem ele é filho.
  • 57Depois que Davi matou o filisteu, Abner o chamou e o levou à presença de Saul. Davi trazia nas mãos a cabeça do filisteu.
  • 58Saul lhe perguntou: Jovem, de quem és filho? Davi respondeu: Sou filho de teu servo Jessé, belemita.
  • Jônatas torna-se aliado de Davi

  • 1"Depois que Davi terminou de falar com Saul, Jônatas se tornou muito amigo de Davi; e Jônatas o amou como a si próprio."
  • 2Daquele dia em diante, Saul o manteve consigo e não permitiu que voltasse para a casa de seu pai.
  • 3Então Jônatas fez um acordo com Davi, porque o amava como a si mesmo.
  • 4Jônatas tirou a capa que vestia e a deu a Davi, como também sua armadura, e até mesmo sua espada, seu arco e seu cinto.
  • 5"E Davi ia aonde quer que Saul o enviasse, e era sempre bem-sucedido; por isso Saul o colocou no comando das tropas, e isso pareceu bem a todo o povo e até aos servos de Saul."
  • A fama de Davi irrita Saul

  • 6Mas sucedeu que quando eles retornavam, depois de Davi ter matado o filisteu, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e dançando alegremente, com tamboris e com instrumentos de música.
  • 7E as mulheres, dançando, cantavam umas para as outras: Saul feriu milhares, mas Davi dez milhares.
  • 8"Então Saul se enfureceu e não se agradou daquilo; e disse: Elas atribuem dez milhares a Davi, e a mim somente milhares; o que mais lhe falta, senão o reino?"
  • 9Daquele dia em diante, Saul passou a olhar para Davi com inveja.
  • 10No dia seguinte, o espírito mau da parte de Deus se apoderou de Saul, que começou a ter manifestações proféticas no meio da casa enquanto Davi tocava a harpa, como de costume. Saul trazia na mão uma lança.
  • 11E Saul arremessou a lança, pensando: Vou encravar Davi na parede. Mas Davi desviou-se dele por duas vezes.
  • 12E Saul temia Davi, porque o SENHOR estava com Davi e havia se retirado dele.
  • 13"Por isso Saul o afastou de sua companhia e o fez comandante de mil; e Davi comandava as guerras à frente do exército."
  • 14Davi era bem-sucedido em todos os seus caminhos, pois o SENHOR estava com ele.
  • 15Vendo que ele era tão bem-sucedido, Saul tinha receio dele.
  • 16Mas todo o Israel e Judá amavam Davi, porque os comandava nas batalhas.
  • Saul planeja matar Davi

  • 17Então Saul disse a Davi: Aqui está Merabe, minha filha mais velha. Eu a darei a ti por mulher, contanto que me sirvas como guerreiro valente e lutes nas guerras do SENHOR. Pois Saul pensava: Eu não o ferirei, mas deixarei que os filisteus o façam.
  • 18Mas Davi disse a Saul: Quem sou eu, e quem são meus parentes e a família de meu pai em Israel, para que eu seja genro do rei?
  • 19Mas quando chegou o tempo de Merabe, filha de Saul, ser dada a Davi, ela foi concedida em casamento a Adriel, meolatita.
  • 20Mas Mical, a outra filha de Saul, amava Davi. Quando contaram isso a Saul, ele se alegrou,
  • 21e Saul pensou: Eu a darei a ele, para que ela lhe sirva de armadilha e para que a mão dos filisteus o derrote. Então Saul disse a Davi: Serás hoje meu genro com minha outra filha.
  • 22"Então Saul deu ordem aos seus servos: Falai em segredo a Davi: O rei está contente contigo, e todos os seus servos te querem bem; agora, consente em ser genro do rei."
  • 23Assim os servos de Saul disseram tudo isso em particular a Davi. Então Davi disse: Pensais que é fácil ser genro do rei? Sou homem pobre e de condição humilde.
  • 24Os servos de Saul lhe anunciaram o que Davi havia falado.
  • 25Então Saul disse: Assim direis a Davi: O rei não exigirá um dote: apenas cem prepúcios de filisteus, para que seja vingado dos seus inimigos. Saul pretendia que Davi caísse nas mãos dos filisteus.
  • 26Quando os servos de Saul disseram isso a Davi, agradou-lhe a ideia de tornar-se genro do rei. E, antes de vencer o prazo,
  • 27Davi se levantou, partiu com os seus homens e matou duzentos filisteus. Davi trouxe os prepúcios deles e os entregou, bem contados, ao rei, para que se tornasse seu genro. Então Saul lhe deu sua filha Mical por mulher.
  • 28Mas quando Saul viu e compreendeu que o SENHOR estava com Davi e que todo o Israel o amava,
  • 29"temeu muito mais a Davi; e cada vez mais Saul se tornava seu inimigo."
  • 30"Então os chefes dos filisteus saíram em campanha; e sempre que eles saíam, Davi era mais bem-sucedido do que todos os servos de Saul; por isso, ele se tornou muito famoso."
  • Jônatas defende Davi perante Saul

  • 1Saul disse ao seu filho Jônatas e a todos os seus servos que matassem Davi. Mas Jônatas, filho de Saul, era muito amigo de Davi.
  • 2"E Jônatas avisou Davi: Saul, meu pai, procura te matar; portanto, protege-te amanhã, fica num lugar oculto e esconde-te;"
  • 3"eu sairei e acompanharei meu pai no campo em que estiveres; intercederei por ti junto a meu pai, verei o que acontecerá e te contarei."
  • 4Então Jônatas falou bem de Davi a seu pai Saul e disse-lhe: Que o rei não cometa um erro contra seu servo Davi, porque ele não pecou contra ti, e porque os feitos dele para contigo têm sido muito bons.
  • 5"Ele pôs a vida em risco e matou o filisteu, e o SENHOR operou grande libertação para todo o Israel. Tu mesmo o viste e te alegraste; por que pecarias contra sangue inocente, matando Davi sem razão?"
  • 6Saul atendeu ao pedido de Jônatas e jurou: Tão certo como vive o SENHOR, Davi não morrerá.
  • 7"Jônatas chamou Davi, contou-lhe tudo o que falaram e o levou a Saul; e Davi passou a servi-lo como antes."
  • Saul procura matar Davi novamente

  • 8Houve guerra outra vez, e Davi saiu para lutar contra os filisteus e os feriu com grande derrota, e eles fugiram dele.
  • 9Então o espírito mau da parte do SENHOR veio sobre Saul quando ele estava assentado em sua casa, segurando sua lança nas mãos. Enquanto Davi tocava a harpa,
  • 10Saul tentou encravar a Davi na parede, mas ele se desviou de Saul, que fincou a lança na parede. Então Davi escapou e fugiu naquela mesma noite.
  • 11"Mas Saul mandou mensageiros à casa de Davi, para que o vigiassem e o matassem pela manhã; mas Mical, mulher de Davi, o avisou: Se não salvares a tua vida esta noite, amanhã te matarão."
  • Mical engana seu pai e salva Davi

  • 12Então Mical baixou Davi por uma janela, e ele fugiu e conseguiu escapar.
  • 13Mical pegou uma estátua, deitou-a na cama, colocou na cabeceira uma colcha* de pele de cabra e a cobriu com uma capa.
  • 14Quando Saul enviou mensageiros para prenderem Davi, ela disse: Ele está doente.
  • 15Saul os enviou novamente, para que vissem Davi, dizendo-lhes: Trazei-o para mim na cama, para que eu o mate.
  • 16Quando os mensageiros chegaram, a estátua estava na cama, e a colcha de pele de cabra, na cabeceira.
  • 17Então Saul perguntou a Mical: Por que me enganaste deste modo e deixaste meu inimigo escapar? Mical respondeu a Saul: Porque ele me disse: Deixa-me ir, senão te matarei.
  • Saul e seus mensageiros profetizam

  • 18"Assim, Davi fugiu e conseguiu escapar; e foi até Samuel, em Ramá, contou-lhe tudo quanto Saul lhe havia feito; então, ele e Samuel foram a Naiote e ficaram ali."
  • 19Disseram a Saul: Davi está em Naiote, em Ramá.
  • 20Então Saul enviou mensageiros para prenderem Davi. Quando viram o grupo de profetas tendo manifestações proféticas, sob a liderança de Samuel, o Espírito de Deus veio sobre os mensageiros de Saul, e eles também tiveram manifestações proféticas.
  • 21Saul foi avisado disso e enviou outros mensageiros, mas estes também tiveram manifestações proféticas. Saul enviou mensageiros pela terceira vez, os quais também profetizaram.
  • 22Então ele mesmo foi a Ramá e, quando chegou ao grande poço que estava em Sécu, perguntou: Onde estão Samuel e Davi? Responderam-lhe: Eles estão em Naiote, em Ramá.
  • 23"Ele foi para Naiote, em Ramá; e o Espírito de Deus veio também sobre ele, e ele ia caminhando e tendo manifestações proféticas, até chegar a Naiote, em Ramá."
  • 24"Ele tirou as roupas e também teve manifestações proféticas diante de Samuel; e, caído, ficou nu todo aquele dia e toda aquela noite. Por isso se diz: Está também Saul entre os profetas?"
  • A conversa de Davi com Jônatas

  • 1Então Davi fugiu de Naiote, em Ramá, foi até Jônatas e lhe disse: Que fiz eu? Qual foi o meu erro? Em que pequei contra teu pai, para que ele procure tirar-me a vida?
  • 2"Ele lhe disse: De jeito nenhum! Tu não morrerás. Meu pai não faz nada, relevante ou não, sem antes me contar; então por que meu pai esconderia isso de mim? Isso não é verdade."
  • 3Davi lhe respondeu, com juramento: Teu pai sabe bem que tenho teu apoio* e poderia pensar: É melhor que Jônatas não saiba disso, para que não se magoe. Mas, na verdade, como vive o SENHOR, e como tu vives, estou a um passo da morte.
  • 4Jônatas disse a Davi: O que queres que eu faça?
  • 5"Davi respondeu a Jônatas: Amanhã é a festa da lua nova, e eu deveria me sentar com o rei para comer; porém, deixa-me ir, para me esconder no campo até a tarde do terceiro dia."
  • 6Se teu pai notar a minha ausência, dirás: Davi me pediu muito que o deixasse ir correndo a Belém, sua cidade, porque lá será feito o sacrifício anual para toda a família.
  • 7"Se ele disser: Está bem, teu servo estará em paz; mas se ele ficar indignado, podes ter certeza de que ele já está decidido a prejudicar-me."
  • 8"Sê misericordioso para com o teu servo, porque fizemos um acordo diante do SENHOR; porém, se sou culpado, mata-me tu mesmo; por que me entregarias a teu pai?"
  • 9Jônatas respondeu: De jeito nenhum! Se eu soubesse que meu pai estava decidido a prejudicar-te, não te contaria?
  • 10Davi perguntou a Jônatas: Quem me avisará, se por acaso teu pai te responder asperamente?
  • Jônatas faz um acordo com Davi

  • 11Então Jônatas disse a Davi: Vem, vamos até o campo. E ambos foram ao campo.
  • 12E Jônatas disse a Davi: O SENHOR, Deus de Israel, seja testemunha! Depois que eu sondar meu pai amanhã a estas horas, ou depois de amanhã, se houver algo favorável para Davi, certamente mandarei te avisar.
  • 13"O SENHOR faça a Jônatas o que lhe aprouver, se meu pai quiser te prejudicar e eu não te avisar e não te deixar partir, para ires em paz; e o SENHOR seja contigo como foi com meu pai."
  • 14Se eu permanecer vivo, não agirás para comigo conforme a bondade do SENHOR, para que eu não morra?
  • 15Não afastes também a tua bondade da minha família, nem mesmo quando o SENHOR tiver eliminado da terra a cada um dos inimigos de Davi.
  • 16Assim Jônatas fez um acordo com a família de Davi, dizendo: O SENHOR se vingue dos inimigos de Davi.
  • 17"Então Jônatas fez Davi jurar de novo, confirmando sua grande amizade; ele o amava como a si próprio."
  • 18E Jônatas disse-lhe ainda: Amanhã é a festa da lua nova, e tua ausência será notada, pois teu lugar ficará vazio.
  • 19Depois de amanhã*, vai depressa ao lugar onde te escondeste quando isto começou e fica junto à pedra de Ezel.
  • 20Eu atirarei três flechas para aquela direção, como se atirasse ao alvo.
  • 21"Então mandarei um rapaz, dizendo: Vai buscar as flechas. Se eu expressamente disser ao rapaz: Olha que as flechas estão mais para cá, apanha-as; poderás vir, porque, como vive o SENHOR, tu estarás em paz, e não há nada a temer."
  • 22"Mas, se eu disser ao moço assim: Olha que as flechas estão mais adiante; vai-te embora, porque o SENHOR te manda ir."
  • 23E quanto ao acordo que fizemos, o SENHOR é testemunha entre nós dois para sempre.
  • 24"Davi escondeu-se no campo; e, no dia da lua nova, o rei se assentou para comer."
  • 25"Quando o rei se assentou no seu lugar, perto da parede, como de costume, Jônatas se sentou em frente dele, e Abner ao lado de Saul; mas o lugar de Davi ficou vazio."
  • 26"Entretanto, Saul não disse nada naquele dia, pois pensava: Alguma coisa deve ter acontecido para ele não estar purificado; certamente ele não está purificado."
  • 27No dia seguinte, o segundo da festa da lua nova, o lugar de Davi continuava vazio. Então Saul perguntou ao seu filho Jônatas: Por que o filho de Jessé não veio comer nem ontem nem hoje?
  • 28Jônatas respondeu a Saul: Davi pediu-me encarecidamente licença para ir a Belém.
  • 29"Ele disse: Peço-te que me deixes ir, porque a nossa família oferecerá um sacrifício na cidade, e meu irmão ordenou que eu fosse; portanto, se tu podes apoiar-me,* peço-te que me deixes ir, para encontrar-me com meus irmãos. Por isso ele não veio à mesa do rei."
  • A fúria de Saul contra Jônatas

  • 30Então Saul ficou furioso com Jônatas e lhe disse: Filho de uma vagabunda!* Acaso não estou sabendo que tu tens favorecido o filho de Jessé para tua vergonha e para vergonha de tua mãe?
  • 31"Pois enquanto o filho de Jessé viver sobre a terra, nem tu estarás seguro, nem o teu reino; por isso, manda trazê-lo agora, porque ele morrerá."
  • 32Jônatas respondeu ao seu pai Saul e lhe disse: Por que ele deve morrer? O que ele fez?
  • 33Então Saul atirou-lhe a lança para atingi-lo. E Jônatas entendeu que seu pai havia decidido matar Davi.
  • 34"Jônatas se levantou da mesa indignado, e no segundo dia da festa da lua nova, não comeu; pois estava triste porque seu pai havia humilhado Davi."
  • Davi despede-se de Jônatas

  • 35Pela manhã, Jônatas foi ao campo, onde havia sido combinado com Davi, e levou consigo um rapaz.
  • 36Então disse ao rapaz: Vai correndo buscar as flechas que eu atirar. O menino correu e Jônatas atirou uma flecha, que fez passar além dele.
  • 37Quando o rapaz chegou ao lugar onde estava a flecha que Jônatas havia atirado, este gritou: A flecha não está mais adiante?
  • 38Ele gritou novamente ao rapaz: Vem, corre, não te demores! O rapaz apanhou as flechas e as trouxe a seu senhor.
  • 39"Porém o rapaz não percebeu nada; só Jônatas e Davi sabiam do que estava acontecendo."
  • 40Então Jônatas deu suas armas ao rapaz e lhe disse: Vai, leva-as à cidade.
  • 41"Logo que o rapaz se foi, Davi surgiu do lado sul, prostrou-se em terra e inclinou-se três vezes; eles se despediram, beijando um ao outro, e choraram, mas Davi chorou muito mais."
  • 42E Jônatas disse a Davi: Vai-te em paz, porque fizemos um juramento um ao outro em nome do SENHOR, dizendo: O SENHOR seja testemunha entre nós dois, e entre a minha descendência e a tua descendência para sempre.
  • 43"Então Davi se levantou e partiu; e Jônatas voltou para a cidade."
  • Davi e o sacerdote Aimeleque em Nobe

  • 1Davi foi a Nobe, ao sacerdote Aimeleque, que foi ao seu encontro tremendo e lhe perguntou: Por que vens só, sem ninguém que te acompanhe?
  • 2Davi respondeu ao sacerdote Aimeleque: O rei me encarregou de uma missão, dizendo: Ninguém saiba desta missão da qual te encarreguei e te dei ordens. Quanto aos homens, combinei um certo lugar onde eles estarão.
  • 3Agora, que tens à mão? Dá-me cinco pães, ou o que tiveres.
  • 4"O sacerdote respondeu a Davi: Não tenho pão comum, mas tenho pão sagrado; se os homens pelo menos se abstiveram das mulheres, poderão comer."
  • 5"Davi respondeu ao sacerdote e lhe disse: Sim, como de costume, nós nos privamos de mulher quando saímos. Os utensílios dos homens também foram consagrados, embora fosse para uma viagem comum; quanto mais hoje os seus utensílios seriam consagrados."
  • 6"Então o sacerdote lhe deu o pão sagrado; porque não havia ali outro pão, senão os pães consagrados* que haviam sido retirados de diante do SENHOR no dia em que foram substituídos por pão quente."
  • 7"Naqueles dias, havia ali um dos servos de Saul, cumprindo deveres diante do SENHOR; ele se chamava Doegue, era edomeu, chefe dos pastores de Saul."
  • 8Davi disse a Aimeleque: Tu tens uma lança ou uma espada aqui? Porque eu não trouxe nem a minha espada nem as minhas armas, pois a missão do rei era urgente.
  • 9"O sacerdote respondeu: A espada do filisteu Golias, a quem feriste no vale de Elá, está aqui enrolada num pano, atrás do colete sacerdotal; se quiseres, podes pegá-la, porque esta é a única que há aqui. E Davi disse: Não há outra melhor; dá-me a espada."
  • Davi foge para Áquis, rei de Gate

  • 10Naquele dia, Davi se levantou, fugiu de Saul e foi encontrar-se com Áquis, rei de Gate.
  • 11Mas os servos de Áquis lhe perguntaram: Este não é Davi, o rei da terra? Não era sobre ele que cantavam nas danças, dizendo: Saul matou milhares, mas Davi, dez milhares?
  • 12Davi pensou muito nessas palavras e teve muito medo de Áquis, rei de Gate.
  • 13"Por isso, mudou de atitude na presença deles e fingiu-se de louco; ele riscava os portões e deixava correr a saliva pela barba."
  • 14Então Áquis disse aos seus servos: Vedes que este homem está louco! Por que o trouxestes a mim?
  • 15Será que me faltam loucos, para que o trouxésseis diante de mim para fazer loucuras? Ele entrará na minha casa?*
  • Davi esconde-se na caverna de Adulão

  • 1Depois disso, Davi retirou-se daquele lugar e fugiu para a caverna de Adulão. Quando seus irmãos e toda a casa de seu pai souberam disso, desceram ali para se encontrarem com ele.
  • 2"Ajuntaram-se a ele todos os que se achavam em dificuldades, todos os endividados e todos os insatisfeitos. Ele se tornou chefe deles; cerca de quatrocentos homens o acompanhavam."
  • 3Dali Davi passou para Mispá de Moa¬be. Ele disse ao rei de Moabe: Peço-te que deixes meu pai e minha mãe ficarem convosco, até que eu saiba o que Deus fará comigo.
  • 4"E ele os deixou com o rei de Moabe; e eles ficaram ali durante o tempo em que Davi esteve na fortaleza."
  • 5"O profeta Gade disse a Davi: Não fiques na fortaleza; sai e vai para a terra de Judá. Então Davi saiu e foi para o bosque de Herete."
  • Saul mata todos os sacerdotes de Nobe

  • 6Saul ouviu que Davi e os homens que estavam com ele haviam sido encontrados. Saul estava em Gibeá, sentado debaixo da tamargueira, numa colina. Ele segurava sua lança, e todos os seus servos estavam com ele.
  • 7Então Saul disse aos servos que o acompanhavam: Ouvi, agora, benjamitas! Acaso o filho de Jessé dará a todos vós terras e vinhas, e tornará todos vós chefes de milhares e de centenas,
  • 8para que todos vós tenhais conspirado contra mim, e ninguém tenha me avisado que meu filho fez um acordo com o filho de Jessé, e ninguém dentre vós se compadeça de mim e me informe que meu filho havia instigado meu servo contra mim, para me armar ciladas, como se vê neste dia?
  • 9Então Doegue, o edomeu, que também estava com os servos de Saul, afirmou: Vi o filho de Jessé chegar a Nobe, para falar com Aimeleque, filho de Aitube.
  • 10"Aimeleque consultou o SENHOR em favor dele e lhe deu mantimento; e também lhe deu a espada de Golias, o filisteu."
  • 11"Então o rei mandou chamar o sacerdote Aimeleque, filho de Aitube, e toda a casa de seu pai, isto é, os sacerdotes que estavam em Nobe; e todos eles compareceram diante do rei."
  • 12E Saul disse: Ouve, filho de Aitube! E ele lhe disse: Aqui estou, meu senhor.
  • 13Então Saul lhe perguntou: Por que conspirastes contra mim, tu e o filho de Jessé, pois lhe deste pão e espada, e consultaste a Deus em favor dele, para que ele se levantasse contra mim para armar-me ciladas, como se vê neste dia?
  • 14Aimeleque respondeu ao rei: Quem entre todos os teus servos é tão fiel como Davi, o genro do rei, chefe da tua guarda, e honrado na tua casa?
  • 15Acaso hoje foi a primeira vez que consultei a Deus em favor dele? É certo que não! Que o rei não atribua coisa nenhuma a mim, seu servo, nem a toda a casa de meu pai, pois teu servo não soube nada de tudo isso, nem muito nem pouco.
  • 16Porém o rei disse: Aimeleque, tu certamente morrerás, e toda a casa de teu pai também.
  • 17Então o rei disse aos da sua guarda que estavam com ele: Virai-vos e matai os sacerdotes do SENHOR, porque eles também estão do lado de Davi e sabiam que ele fugia, e não me contaram. Mas os servos do rei se recusaram a levantar as mãos para matar os sacerdotes do SENHOR.
  • 18Então o rei disse a Doegue: Vira-te e mata os sacerdotes. Então, Doegue, o edomeu, virou-se, atacou os sacerdotes e matou naquele dia oitenta e cinco homens que vestiam o colete de linho.
  • 19"Ele também atacou os moradores de Nobe, cidade desses sacerdotes; ele matou homens e mulheres, meninos e criancinhas de peito, e até os bois, jumentos e ovelhas."
  • O sacerdote Abiatar foge e encontra-se com Davi

  • 20Entretanto, Abiatar, um dos filhos de Aimeleque, filho de Aitube, escapou e fugiu para Davi.
  • 21Abiatar contou a Davi que Saul havia matado os sacerdotes do SENHOR.
  • 22Então Davi disse a Abiatar: Naquele dia, quando Doegue, o edomeu, estava ali, eu sabia que ele não deixaria de contar tudo a Saul. Eu sou a causa da morte de todos os da casa de teu pai.
  • 23"Fica comigo, não temas; porque quem procura a minha morte também procura a tua; comigo estarás em segurança."
  • Davi livra a cidade de Queila

  • 1Disseram a Davi que os filisteus haviam atacado a cidade de Queila e pilhavam as eiras.
  • 2Então Davi consultou o SENHOR e perguntou: Devo atacar esses filisteus? O SENHOR respondeu a Davi: Vai, ataca os filisteus e salva a cidade de Queila.
  • 3Mas os homens de Davi lhe disseram: Aqui em Judá estamos com medo, quanto mais se formos a Queila, contra o exército dos filisteus!
  • 4Davi voltou a consultar o SENHOR, e o SENHOR lhe respondeu: Levanta-te, desce a Queila, porque eu entregarei os filisteus nas tuas mãos.
  • 5"Então Davi partiu com os seus homens para Queila, atacou os filisteus, massacrou-os e tomou-lhes o gado; assim Davi salvou os moradores de Queila."
  • 6Quando Abiatar, filho de Aimeleque, fugiu para estar com Davi em Queila, desceu com o colete sacerdotal na mão.
  • 7"Disseram a Saul que Davi tinha ido a Queila; e Saul disse: Deus o entregou nas minhas mãos; ele se aprisionou, porque entrou numa cidade que tem portas e trancas."
  • 8Então convocou todo o exército à guerra contra Queila, para cercar Davi e os homens que o seguiam.
  • 9Quando Davi soube que Saul maquinava o mal contra ele, disse ao sacerdote Abiatar: Traze aqui o colete.
  • 10Então Davi orou: Ó SENHOR, Deus de Israel, teu servo acaba de ouvir que Saul procura vir a Queila, para destruir a cidade por minha causa.
  • 11Será que os moradores de Queila me entregarão nas mãos dele? Será que Saul virá, como teu servo ouviu? Ah! SENHOR, Deus de Israel, dize ao teu servo. O Senhor respondeu: Ele virá.
  • 12Davi disse ainda: Os moradores de Queila entregarão a mim e aos homens que me seguem nas mãos de Saul? E o SENHOR respondeu: Entregarão.
  • 13Então Davi levantou-se com os homens que o seguiam, cerca de seiscentos, saíram de Queila e foram até onde puderam. Quando Saul soube que Davi havia escapado de Queila, desistiu de atacá-lo.
  • 14Davi ficou no deserto, em lugares seguros, permanecendo na região montanhosa no deserto de Zife. Saul o procurava todos os dias, mas Deus não o entregou nas suas mãos.
  • Davi e Jônatas fazem um acordo

  • 15Davi estava no deserto de Zife, em Horesa, quando soube que Saul procurava matá-lo.
  • 16Jônatas, filho de Saul, foi falar com Davi em Horesa e restaurou sua confiança em Deus.
  • 17"Ele lhe disse: Não temas, porque as mãos de meu pai Saul não te tocarão. Tu reinarás sobre Israel, e eu serei o segundo no reino; Saul, meu pai, bem sabe disso."
  • 18"Os dois fizeram um acordo diante do SENHOR; Davi ficou em Horesa, e Jônatas voltou para casa."
  • 19Então alguns zifeus foram dizer a Saul, em Gibeá: Davi está escondido em nosso território, nas fortalezas de Horesa, no monte de Haquila, à direita de Jesimom.
  • 20Ó rei, desce agora depressa, conforme desejares, e nós nos incumbiremos de entregá-lo nas mãos do rei.
  • 21Então Saul disse: Benditos sejais vós do SENHOR, porque vos compadecestes de mim.
  • 22"Ide, informai-vos ainda melhor; procurai saber onde costuma ir,* e quem o tenha visto ali; pois me disseram que ele é muito astuto. "
  • 23Informai-vos sobre os lugares onde se esconde, e voltai a mim com informações exatas, e eu irei convosco. Se ele estiver naquela terra, eu o procurarei entre todos os milhares de Judá.
  • 24Eles se levantaram e voltaram a Zife, adiante de Saul. Mas Davi e seus soldados estavam no deserto de Maom, na campina ao sul de Jesimom.
  • 25Saul e seus soldados foram procurá-lo. Quando soube disso, Davi desceu o penhasco do deserto de Maom. Sabendo disso, Saul foi ao deserto de Maom para perseguir Davi.
  • 26Saul ia por um lado do monte, e Davi e os homens que o seguiam, pelo outro. Davi se apressava para escapar, por medo de Saul, porque Saul e seus soldados estavam cercando Davi e seus soldados para prendê-los.
  • 27Então veio um mensageiro dizer a Saul: Vem depressa, porque os filisteus acabam de invadir a terra.
  • 28E Saul deixou de perseguir Davi e foi lutar com os filisteus. Por essa razão, aquele lugar se chamou Selá-Hamalecote.
  • 29Depois disso, Davi subiu e permaneceu nas fortalezas de En-Gedi.
  • Davi poupa a vida de Saul

  • 1Depois que Saul voltou da perseguição aos filisteus, disseram a ele: Davi está no deserto de En-Gedi.
  • 2Então Saul tomou três mil dos melhores soldados de todo o Israel e foi em busca de Davi e dos que o seguiam, até perto do penhasco das cabras monteses.
  • 3No caminho ele parou nos currais de ovelhas, onde havia uma caverna. Saul entrou nela para aliviar o ventre.* E Davi e os seus soldados estavam escondidos na parte interior da caverna.
  • 4"Então os soldados de Davi lhe disseram: Hoje é o dia sobre o qual o SENHOR te disse: Entregarei o teu inimigo nas tuas mãos; tu lhe farás como bem te parecer. Então Davi se levantou e, em silêncio, cortou a ponta do manto de Saul."
  • 5Mas depois Davi ficou com remorso por ter cortado a ponta do manto de Saul.
  • 6E disse aos que o seguiam: O SENHOR me guarde de fazer tal coisa ao meu senhor, ao ungido do SENHOR, estender a mão contra ele. Ele é o ungido do SENHOR.
  • 7Com essas palavras Davi conteve os homens e não lhes permitiu que atacassem Saul. E Saul saiu da caverna e prosseguiu seu caminho.
  • 8Depois Davi também se levantou e, saindo da caverna, gritou por trás de Saul: Ó rei, meu senhor! Quando Saul olhou para trás, Davi se inclinou com o rosto em terra e lhe fez reverência.
  • 9Então Davi disse a Saul: Por que dás atenção aos homens que dizem: Davi procura fazer-te mal?
  • 10"Os teus olhos acabam de ver que o SENHOR hoje te entregou nas minhas mãos nesta caverna; e alguns disseram que eu te matasse, mas a minha mão te poupou; pois eu disse: Não estenderei a mão contra o meu senhor, porque é o ungido do SENHOR."
  • 11"Olha, meu pai. Vê aqui a ponta do teu manto na minha mão, pois eu cortei a ponta do manto, em vez de te matar. Reconhece e vê que não cometi nenhum mal nem transgressão alguma; eu não pequei contra ti, embora andes à minha caça para me tirares a vida."
  • 12"O SENHOR julgue entre nós dois, e o SENHOR me vingue de ti; porém a minha mão não será contra ti."
  • 13Como diz o provérbio dos antigos: Dos maus procede a maldade. Mas a minha mão não se estenderá contra ti.
  • 14Contra quem o rei de Israel saiu? A quem persegues? A um cachorro morto? A uma pulga!
  • 15O SENHOR seja juiz e julgue entre nós dois. Que ele esteja atento, defenda a minha causa e me livre da tua mão.
  • 16Depois que Davi terminou de falar tudo isso a Saul, este lhe perguntou: É esta a tua voz, meu filho Davi? Então Saul chorou bem alto.
  • 17E disse a Davi: Tu és mais justo do que eu, pois me devolveste o bem, e eu te devolvi o mal.
  • 18"Tu mostraste hoje que fizeste o bem para comigo; apesar de o SENHOR ter me entregado em tuas mãos, não me mataste."
  • 19Quem, ao encontrar o inimigo, o deixaria seguir seu caminho? O SENHOR te recompense pelo que me fizeste hoje.
  • 20Agora sei que certamente reinarás, e o reino de Israel se firmará sob teu comando.
  • 21Portanto, jura-me pelo SENHOR que não eliminarás a minha descendência, nem extirparás o meu nome da família de meu pai.
  • 22Então Davi jurou a Saul. E Saul foi para casa, mas Davi e os homens que o seguiam subiram à fortaleza.
  • A morte de Samuel

  • 1Samuel faleceu, e todo o Israel se ajuntou e chorou por ele. Eles o sepultaram na cidade onde morava, em Ramá. Davi se levantou e desceu ao deserto de Parã.
  • Nabal destrata os servos de Davi

  • 2"Havia um homem em Maom que tinha propriedades no Carmelo. Esse homem era muito rico, pois tinha três mil ovelhas e mil cabras; e estava tosquiando suas ovelhas no Carmelo."
  • 3"Esse homem se chamava Nabal, e o nome de sua mulher era Abigail. A mulher era sensata e bonita; porém o homem era grosseiro e mau; ele era da família de Calebe."
  • 4Davi ficou sabendo no deserto que Nabal tosquiava suas ovelhas,
  • 5e enviou-lhe dez rapazes, dizendo: Subi ao Carmelo, ide a Nabal e o cumprimentai em meu nome.
  • 6Assim lhe direis: Paz seja contigo e com a tua família, e com tudo o que tens.
  • 7"Fiquei sabendo que tens tosquiadores. Os teus pastores estiveram conosco; nada lhes fizemos de mal, e eles não sentiram falta de nada em todo o tempo que estiveram no Carmelo."
  • 8Pergunta aos teus servos, e eles te dirão. Que os meus servos sejam bem recebidos, porque viemos em dia festivo. Dá a teus servos e a Davi, teu filho, aquilo que puderes.
  • 9Os servos de Davi foram a Nabal e falaram todas as palavras em nome de Davi, e se calaram.
  • 10E Nabal respondeu aos servos de Davi: Quem é Davi? Quem é o filho de Jessé? Hoje em dia, há muitos servos que fogem do seu senhor.
  • 11Tomaria eu o meu pão, a minha água e a carne do animal que abati para meus tosquiadores, e os daria a homens que não sei de onde vêm?
  • 12Então os servos de Davi voltaram e contaram-lhe todas essas palavras.
  • 13Então Davi disse aos homens que o seguiam: Ponha cada um a espada na cintura. E assim eles fizeram, e Davi também pôs a sua. Cerca de quatrocentos homens foram com Davi, e duzentos ficaram com a bagagem.
  • 14Mas um dos servos disse a Abigail, mulher de Nabal: Davi enviou mensageiros do deserto com cumprimentos ao nosso senhor, e ele os destratou.
  • 15"Entretanto, aqueles homens têm sido muito bons para nós; nunca fomos maltratados por eles, e nada nos desapareceu em todo o tempo em que convivemos com eles, quando estávamos no campo."
  • 16Eles nos serviram de proteção ao redor, tanto de dia como de noite, todos os dias que andamos com eles cuidando as ovelhas.
  • 17"Pensa agora e vê o que podes fazer, porque o mal já está determinado contra o nosso senhor e contra toda a sua família; e ele é tão genioso,* que não há quem o possa convencer. "
  • Abigail apazigua Davi

  • 18Então Abigail se apressou e pegou duzentos pães, dois recipientes de couro cheios de vinho, cinco ovelhas assadas, cinco medidas de trigo tostado, cem cachos de passas e duzentas pastas de figos secos e os pôs sobre jumentos.
  • 19E disse aos seus servos: Ide à frente e eu vos seguirei logo atrás. Porém não disse nada ao seu marido Nabal.
  • 20"Quando ela ia descendo pela encosta do monte, montada num jumento, Davi e seus homens vinham na direção oposta; e ela os encontrou."
  • 21Davi tinha dito: De nada adiantou ter guardado todos os seus bens no deserto, para que nada se perdesse de tudo quanto lhe pertencia. Ele me devolveu o bem com o mal.
  • 22Assim Deus castigue Davi severamente, se eu deixar vivo até o amanhecer um só homem* de todos os que pertencem a Nabal.
  • 23"Quando Abigail viu Davi, ela desceu do jumento rapidamente e se prostrou com o rosto em terra diante de Davi;"
  • 24e, prostrada a seus pés, lhe disse: Ah, senhor meu, caia sobre mim a culpa! Deixa a tua serva falar aos teus ouvidos e ouve as palavras da tua serva.
  • 25"Meu senhor, eu te imploro que não faças caso desse homem genioso,* Nabal; porque ele é como o seu nome. Nabal é o seu nome, e ele é insensato; mas eu, tua serva, não vi os servos que meu senhor enviou."
  • 26"Agora, meu senhor, tão certo como vive o SENHOR, e tão certo como tu vives, foi o SENHOR que te impediu de derramar sangue e de te vingares com a tua própria mão; que os teus inimigos e os que procuram prejudicar o meu senhor sejam como Nabal."
  • 27"Aceita agora este presente que tua serva trouxe ao meu senhor; seja ele dado aos servos que acompanham o meu senhor."
  • 28"Perdoa o erro da tua serva, porque certamente o SENHOR estabelecerá uma casa real firme a meu senhor, pois meu senhor luta nas guerras do SENHOR; e nenhum mal se achará em ti em toda a tua vida."
  • 29"Se alguém se levantar para te perseguir e para te matar, a vida de meu senhor será atada no feixe dos que vivem com o SENHOR, teu Deus; mas ele lançará para longe a vida dos teus inimigos, como se atira com uma funda."
  • 30Quando o SENHOR tiver feito para com o meu senhor conforme todo o bem que já tem dito de ti, e te houver estabelecido por príncipe sobre Israel,
  • 31então, meu senhor, não terás no coração essa tristeza nem esse remorso de teres derramado sangue sem causa, ou de haver-se vingado o meu senhor a si mesmo. E quando o SENHOR fizer bem ao meu senhor, lembra-te então da tua serva.
  • 32Então Davi disse a Abigail: Bendito seja o SENHOR, Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro!
  • 33E bendito seja o teu conselho, e bendita sejas tu, que hoje me impediste de derramar sangue e de vingar-me com minhas próprias mãos!
  • 34Tão certo como vive o SENHOR, Deus de Israel, que me impediu de te fazer mal, que se não tivesses te apressado e vindo ao meu encontro, ninguém que fosse de Nabal teria sobrevivido pela manhã, nem mesmo o mais jovem.
  • 35"Então Davi aceitou da mão dela o que lhe havia trazido e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; vê que te atendi e aceitei o teu pedido."
  • 36"Quando Abigail voltou para Nabal, ele fazia um banquete em sua casa, como banquete de rei; e o coração de Nabal estava alegre, pois ele estava muito embriagado; por isso, ela não lhe contou nada daquilo, nem pouco nem muito, até o amanhecer."
  • 37Sucedeu que, pela manhã, quando Nabal já não estava mais sob o efeito do vinho, sua mulher lhe contou essas coisas, e ele teve um ataque do coração e ficou paralisado como uma pedra.
  • 38Passados uns dez dias, o SENHOR feriu Nabal, e ele morreu.
  • 39Quando Davi soube que Nabal havia morrido, disse: Bendito seja o SENHOR, que me vingou da afronta de Nabal e impediu que seu servo fizesse algum mal, punindo Nabal por causa de sua maldade. Depois, Davi enviou mensagem a Abigail, pedindo-lhe que se tornasse sua mulher.
  • 40Os servos de Davi foram a Abigail, no Carmelo, lhe disseram: Davi nos mandou buscar-te, para que sejas sua mulher.
  • 41Ela se levantou, se inclinou com o rosto em terra e disse: A tua serva servirá de criada para lavar os pés dos servos de meu senhor.
  • 42Então Abigail se apressou e, levantando-se, montou num jumento, e levando as cinco moças que a serviam, seguiu os mensageiros de Davi, que a recebeu por mulher.
  • 43"Davi tomou também a Ainoã de Jezreel; e ambas foram suas mulheres."
  • 44Mas Saul tinha dado sua filha Mical, mulher de Davi, a Palti,* filho de Laís, o qual era de Galim.
  • Davi poupa outra vez a vida de Saul

  • 1Os zifeus foram a Saul, em Gibeá, dizendo: Davi está se escondendo no monte de Haquila, em frente de Jesimom.
  • 2Então Saul se levantou e desceu ao deserto de Zife, levando consigo três mil dos melhores homens de Israel, à procura de Davi no deserto de Zife.
  • 3"Saul acampou no monte de Haquila, em frente de Jesimom, perto do caminho; porém Davi ficou no deserto e, quando percebeu que Saul vinha atrás dele, ao deserto,"
  • 4enviou espias e certificou-se de que Saul havia chegado.
  • 5"Então Davi se levantou e foi ao lugar onde Saul estava acampado; Davi viu o lugar onde Saul e Abner, filho de Ner, chefe do seu exército, dormiam. Saul estava deitado no acampamento, e os soldados, acampados ao redor dele."
  • 6Então Davi dirigiu-se a Aimeleque, o heteu, e a Abisai, filho de Zeruia, irmão de Joabe, e perguntou: Quem descerá comigo a Saul, ao acampamento? Abisai respondeu: Eu irei contigo.
  • 7"Davi e Abisai foram de noite ao exército; Saul estava deitado, dormindo no acampamento, e a sua lança estava fincada na terra, à sua cabeceira; e Abner e os soldados estavam deitados ao redor dele."
  • 8"Então Abisai disse a Davi: Hoje Deus te entregou o teu inimigo em tuas mãos; deixa-me agora encravá-lo na terra, com a lança, em um só golpe; não o ferirei uma segunda vez."
  • 9"Mas Davi respondeu a Abisai: Não o mates; pois quem pode estender a mão contra o ungido do SENHOR e ficar inocente?"
  • 10"Davi disse mais: Assim como vive o SENHOR, ou o SENHOR o ferirá, ou chegará o seu dia e morrerá, ou descerá para a batalha e morrerá;"
  • 11porém o SENHOR me guarde de estender a mão contra o ungido do SENHOR. Agora, pega a lança que está à sua cabeceira, e o jarro dágua, e vamos embora.
  • 12"Então, Davi pegou a lança e o jarro dágua da cabeceira de Saul, e eles se foram. Ninguém os viu, nem os ouviu, e ninguém acordou; porque todos estavam dormindo, pois o SENHOR os fizera cair em profundo sono."
  • 13Então Davi foi para o outro lado e se colocou no topo do monte, ao longe, de maneira que havia grande distância entre eles.
  • 14E Davi gritou ao povo, e a Abner, filho de Ner: Não responderás, Abner? Então Abner respondeu e disse: Quem és tu, que gritas ao rei?
  • 15Davi disse a Abner: Tu não és um homem? E quem em Israel é igual a ti? Por que não protegeste o rei, teu senhor? Alguém veio para matar o rei, teu senhor.
  • 16O que fizeste não é bom. Vive o SENHOR, que sois dignos de morte, porque não destes proteção a vosso senhor, o ungido do SENHOR. Vede agora onde está a lança do rei e o jarro dágua que estava à sua cabeceira.
  • Saul conversa com Davi

  • 17Saul reconheceu a voz de Davi e disse: Não é esta a tua voz, meu filho Davi? Respondeu Davi: É minha voz, ó rei, meu senhor.
  • 18Disse mais: Por que o meu senhor persegue tanto o seu servo? Que fiz eu? De que erro sou culpado?
  • 19"Ó rei, meu senhor, ouve agora as palavras de teu servo: Se é o SENHOR quem te incita contra mim, receba ele uma oferta; porém, se são os homens, malditos sejam diante do SENHOR, pois eles me expulsaram hoje para que eu não tenha parte na herança do SENHOR, dizendo: Vai, serve a outros deuses."
  • 20"Agora, não caia o meu sangue em terra fora da presença do SENHOR; pois o rei de Israel saiu em busca de uma pulga, como quem persegue uma perdiz nos montes."
  • 21"Então Saul disse: Pequei; volta, meu filho Davi, pois não tornarei a fazer-te mal, porque a minha vida foi hoje preciosa aos teus olhos. Eu procedi como um louco e cometi um grande erro."
  • 22Davi então respondeu e disse: Aqui está a lança, ó rei! Manda um dos servos vir pegá-la.
  • 23"Porém o SENHOR recompense a cada um conforme a sua justiça e a sua lealdade; pois o SENHOR te entregou hoje na minha mão, mas eu não quis ferir o ungido do SENHOR."
  • 24E, assim como a tua vida foi preciosa aos meus olhos hoje, seja a minha vida preciosa aos olhos do SENHOR, para que ele me livre de todo sofrimento.
  • 25Então Saul disse a Davi: Bendito sejas tu, meu filho Davi, pois farás grandes coisas e também certamente prevalecerás. Então Davi seguiu seu caminho, e Saul voltou para casa.
  • Davi refugia-se com Áquis, rei de Gate

  • 1"Porém Davi disse no seu coração: Algum dia ainda morrerei pela mão de Saul; é melhor eu fugir para a terra dos filisteus, para que Saul perca essa esperança e pare de me perseguir por todo o território de Israel; assim escaparei da sua mão."
  • 2Então Davi se levantou e passou para Áquis, filho de Maoque, rei de Gate, com os seiscentos soldados que estavam com ele.
  • 3Davi ficou com Áquis em Gate, ele e os que o seguiam, cada um com sua família, e Davi com suas duas mulheres, Ainoã, a jezreelita, e Abigail, que havia sido mulher de Nabal, o carmelita.
  • 4Quando contaram que Davi havia fugido para Gate, Saul desistiu de persegui-lo.
  • 5"Davi disse a Áquis: Se tenho o teu apoio, dá-me lugar numa das cidades do país, para que eu possa habitar ali; pois, por que o teu servo habitaria contigo na cidade real?"
  • 6"Então Áquis lhe deu naquele dia a cidade de Ziclague; por isso Ziclague pertence aos reis de Judá, até o dia de hoje."
  • 7Davi habitou na terra dos filisteus por um ano e quatro meses.
  • 8"Davi e os homens que o seguiam atacavam os gesuritas, e os girzitas, e os amalequitas; pois, desde tempos remotos, esses eram os habitantes da terra que vai na direção de Sur até a terra do Egito."
  • 9"Davi atacava aquela terra e não deixava vivo nem homem nem mulher; e, tomando ovelhas, bois, jumentos, camelos e roupas, voltava e vinha a Áquis."
  • 10"Quando Áquis perguntava: A quem atacaste hoje? Davi respondia: O Neguebe de Judá; ou o Neguebe dos jerameelitas; ou o Neguebe dos queneus."
  • 11E Davi não deixava vivo nem homem nem mulher, e não os levava a Gate, pois dizia: Para que não nos denunciem, dizendo: Assim fez Davi. Esse era o seu costume durante o tempo em que habitou na terra dos filisteus.
  • 12"Áquis confiava em Davi, dizendo: Certamente ele se tornou odiado por seu povo Israel; portanto, será meu servo para sempre."
  • Saul consulta uma médium

  • 1Naqueles dias, os filisteus reuniram os seus exércitos para a guerra, a fim de lutar contra Israel. E Áquis disse a Davi: Tu e os que te seguem virão lutar comigo.
  • 2Davi respondeu a Áquis: Tu verás o que teu servo é capaz de fazer. E Áquis disse a Davi: Por isso te colocarei para sempre como meu guarda pessoal.
  • 3"Samuel já havia morrido, e todo o Israel havia chorado por ele; e sepultaram-no em Ramá, sua cidade. Saul havia expulsado os que consultavam os mortos e os adivinhos."
  • 4"Os filisteus ajuntaram-se e vieram acampar em Suném; Saul ajuntou também todo o Israel, e acamparam em Gilboa."
  • 5Quando Saul viu o acampamento dos filisteus, teve medo e apavorou-se.
  • 6Saul consultou o SENHOR, mas este não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas.
  • 7Então Saul disse aos seus servos: Procurai uma mulher que consulte os mortos, para que eu vá consultá-la. E seus servos lhe disseram: Há uma em En-Dor.
  • 8Então Saul se disfarçou, vestindo outras roupas, e foi com dois homens. E chegaram de noite à casa da mulher. Saul lhe disse: Peço-te que me adivinhes pela necromancia e me faças subir aquele que eu te disser.
  • 9"A mulher respondeu: Tu bem sabes o que Saul fez, como exterminou da terra os que consultam os mortos e os adivinhos; então por que preparas uma armadilha contra mim, para me fazer morrer?"
  • 10Porém Saul jurou-lhe pelo SENHOR, dizendo: Assim como vive o SENHOR, nenhum castigo te sobrevirá por isso.
  • 11A mulher então perguntou: A quem queres que eu faça subir? Ele respondeu: Faze-me subir Samuel.
  • 12Quando a mulher viu Samuel, gritou em alta voz e disse a Saul: Por que me enganaste? Tu és Saul!
  • 13"Então o rei lhe disse: Não temas; o que vês? Então a mulher respondeu a Saul: Vejo um espírito* que vem subindo do chão."
  • 14Ele lhe perguntou: Qual é a sua aparência? Ela disse: Vem subindo um ancião coberto com uma capa. Saul percebeu que era Samuel, inclinou-se e prostrou-se com o rosto em terra.
  • 15"Então Samuel disse a Saul: Por que me perturbaste, fazendo-me subir? Saul respondeu: Estou muito angustiado, pois os filisteus lutam contra mim, e Deus se afastou de mim e não me responde mais, nem por meio dos profetas nem por sonhos; por isso te chamei, para que me digas o que devo fazer."
  • 16Então Samuel disse: Por que me perguntas, se o SENHOR se afastou de ti e se tornou teu inimigo?
  • 17"O SENHOR te fez como tinha dito por meu intermédio; pois o SENHOR rasgou o reino da tua mão e o entregou a Davi, o teu próximo."
  • 18O SENHOR te fez isso hoje, pois não obedeceste ao SENHOR e não executaste o furor da sua ira contra Amaleque.
  • 19E contigo o SENHOR também entregará Israel na mão dos filisteus. Amanhã, tu e teus filhos estareis comigo, e o SENHOR entregará o acampamento de Israel na mão dos filisteus.
  • 20"Imediatamente Saul caiu estendido no chão, tomado de grande medo por causa das palavras de Samuel; e perdeu as forças, pois não havia comido nada o dia inteiro e a noite inteira."
  • 21"Então a mulher se aproximou de Saul e, vendo-o tão perturbado, disse-lhe: A tua serva te obedeceu; arrisquei a vida e atendi ao que pediste."
  • 22"Agora, ouve também tu as palavras da tua serva e permite que eu te sirva um pouco de comida; come, para que tenhas forças quando fores pelo teu caminho."
  • 23Porém ele não aceitou, dizendo: Não comerei. Mas seus servos e a mulher o convenceram, e ele a atendeu. E, levantando-se do chão, sentou-se na cama.
  • 24"A mulher tinha em casa um bezerro de engorda e depressa o matou; e pegou também farinha, amassou-a e assou pães sem fermento."
  • 25"Então colocou tudo diante de Saul e de seus servos; e eles comeram. Depois disso, levantaram-se e partiram na mesma noite."
  • Áquis dispensa Davi da batalha contra Israel

  • 1"Os filisteus ajuntaram todos os seus exércitos em Afeque; e os israelitas acamparam junto à fonte que está em Jezreel."
  • 2"Então os chefes dos filisteus se adiantaram com unidades de cem e de mil; e Davi e os seus homens iam com Áquis na retaguarda."
  • 3Os chefes filisteus perguntaram: O que estes hebreus estão fazendo aqui? Áquis respondeu aos chefes filisteus: Este é Davi, o servo de Saul, rei de Israel, que tem estado comigo alguns dias ou anos. Não vi nenhuma atitude culpável nele, desde o dia em que desertou até o dia de hoje.
  • 4"Mas os chefes filisteus se indignaram muito contra ele e disseram a Áquis: Manda de volta este homem para o lugar que lhe deste; não deixes que ele venha conosco à batalha, a fim de que não se torne nosso adversário no combate. De que outro modo se reconciliaria com o seu senhor senão à custa das cabeças destes homens?"
  • 5Este não é aquele Davi, a respeito de quem cantavam nas danças: Saul feriu milhares, mas Davi, dez milhares?
  • 6"Então Áquis chamou Davi e lhe disse: Assim como vive o SENHOR, tu és justo, e eu me agrado de que combatas comigo, pois nada vi de culpável em ti, desde o dia em que vieste estar comigo até o dia de hoje; mas os chefes não se agradam de ti."
  • 7Volta agora e vai em paz, para não desagradares os chefes filisteus.
  • 8Davi disse a Áquis: Por quê? Que fiz eu? Que achaste no teu servo, desde o dia em que vim estar contigo até o dia de hoje, para que eu não vá lutar contra os inimigos do rei, meu senhor?
  • 9"Mas Áquis respondeu a Davi: Eu sei que tens sido tão bom quanto um anjo de Deus para comigo; porém os chefes filisteus disseram: Este homem não subirá conosco à batalha."
  • 10"Levanta-te amanhã de madrugada, tu e os servos de teu senhor que vieram contigo; e, quando levantardes de madrugada, podereis partir assim que houver luz."
  • 11"Davi e os que o seguiam madrugaram, a fim de partirem pela manhã e voltarem à terra dos filisteus; e os filisteus subiram a Jezreel."
  • Ziclague é saqueada pelos amalequitas

  • 1"Quando Davi e os que o seguiam chegaram a Ziclague três dias depois, os amalequitas haviam atacado o Neguebe, ferindo e incendiando Ziclague;"
  • 2"e haviam levado presas as mulheres, e todos os que estavam nela, do mais jovem ao mais idoso; mas não mataram ninguém, apenas os levaram consigo e seguiram seu caminho."
  • 3Quando Davi e os que o seguiam chegaram à cidade, ela estava queimada, e suas mulheres, seus filhos e suas filhas haviam sido levados presos.
  • 4Então Davi e a tropa que o seguia choraram bem alto, até ficarem sem forças para chorar.
  • 5As duas mulheres de Davi também foram levadas presas: Ainoã, a jezreelita, e Abigail, que havia sido mulher de Nabal, o carmelita.
  • 6Davi também se angustiou, pois a tropa falava em apedrejá-lo, porque toda a tropa estava amargurada por causa de seus filhos e de suas filhas. Mas Davi se fortaleceu no SENHOR, seu Deus.
  • Davi persegue os amalequitas e livra os cativos

  • 7Davi disse a Abiatar, o sacerdote, filho de Aimeleque: Traze-me aqui o colete sacerdotal. E Abiatar trouxe o colete a Davi.
  • 8Então Davi consultou o SENHOR, dizendo: Devo perseguir essa tropa? Terei condições de alcançá-la? O SENHOR lhe respondeu: Persegue-a, porque certamente a alcançarás e recuperarás tudo.
  • 9Então Davi partiu com os seiscentos homens que estavam com ele e chegaram ao ribeiro de Besor, onde ficaram os retardatários.
  • 10Mas Davi ainda os perseguia com quatrocentos homens, enquanto duzentos ficaram atrás, por não conseguirem passar o ribeiro de Besor por estarem muito cansados.
  • 11"Eles encontraram um egípcio no campo e o trouxeram a Davi; deram-lhe comida e água para beber;"
  • 12"deram-lhe também um pedaço de pasta de figos secos e dois cachos de passas. Depois de ter comido ele recobrou o ânimo; pois havia três dias e três noites que não se alimentava nem bebia água."
  • 13"Então Davi lhe perguntou: A quem pertences? De onde vens? Ele respondeu: Sou um rapaz egípcio, servo de um amalequita; e o meu senhor me abandonou, porque adoeci há três dias."
  • 14Nós atacamos o Neguebe dos queretitas, de Judá, e o Neguebe de Calebe, e pusemos fogo em Ziclague.
  • 15Davi lhe perguntou: Poderias descer e me conduzir a essa tropa? Ele respondeu: Se me jurares diante de Deus que não me matarás, nem me entregarás na mão de meu senhor, eu descerei e te guiarei a essa tropa.
  • 16"Então ele desceu e o guiou; e eles estavam espalhados sobre a face de toda a terra, comendo, bebendo e dançando, por causa de todo aquele grande despojo que haviam tomado da terra dos filisteus e da terra de Judá."
  • 17Então Davi os feriu, desde o amanhecer até a tarde do dia seguinte, e nenhum deles escapou, exceto quatrocentos rapazes que fugiram montados em camelos.
  • 18"Assim Davi recuperou tudo quanto os amalequitas haviam tomado; também libertou as suas duas mulheres."
  • 19De modo que nada lhes faltou: nem jovens, nem idosos, nem filhos nem filhas, nem qualquer coisa de tudo quanto os amalequitas lhes haviam tomado. Davi trouxe tudo de volta.
  • 20"Davi lhes tomou também todos os seus rebanhos e manadas; e a tropa os levava adiante do outro gado e dizia: Este é o despojo de Davi."
  • Davi define a divisão dos despojos

  • 21"Quando Davi chegou aos duzentos homens que não puderam segui-lo por causa do cansaço, e que foram obrigados a ficar à margem do ribeiro de Besor, estes saíram ao encontro de Davi e da tropa que vinha com ele; e, aproximando-se deles, Davi os cumprimentou em paz."
  • 22Então todos os homens maus e inúteis* dentre os que haviam ido com Davi, disseram: Visto que não foram conosco, não repartiremos nada do despojo que recuperamos, senão a cada um sua mulher e seus filhos, para que os levem e se retirem.
  • 23Mas Davi disse: Não, meus irmãos! Não fareis isso com o que o SENHOR nos deu. Ele nos guardou e entregou a tropa que vinha contra nós nas nossas mãos.
  • 24"Quem concordaria com isso? A parte dos que ficaram com a bagagem será a mesma dos que foram lutar; todos receberão partes iguais."
  • 25Assim, isso ficou estabelecido por estatuto e direito em Israel daquele dia até hoje.
  • 26"Quando Davi chegou a Ziclague, enviou um presente do despojo aos anciãos de Judá, seus amigos, dizendo: Aqui está um presente para vós, do despojo dos inimigos do SENHOR;"
  • 27"aos de Betel, aos de Ramote do sul, e aos de Jatir;"
  • 28"aos de Aroer, aos de Sifmote, e aos de Estemoa;"
  • 29"aos de Racal, aos das cidades dos jerameelitas, e aos das cidades dos queneus;"
  • 30"aos de Hormá, aos de Corasã, e aos de Atace;"
  • 31e aos de Hebrom, e aos de todos os lugares que Davi e os que o seguiam costumavam frequentar.
  • A derrota dos israelitas e a morte de Saul

  • 1"Os filisteus lutaram contra Israel, e os israelitas fugiram de diante deles; e caíram mortos no monte Gilboa."
  • 2"Os filisteus pressionaram Saul e seus filhos; e mataram Jônatas, Abinadabe e Malquisua, filhos de Saul."
  • 3A batalha agravou-se contra Saul, e os flecheiros o alcançaram e o feriram gravemente.
  • 4Então Saul disse ao seu escudeiro: Arranca tua espada e mata-me com ela, para que esses incircuncisos não venham e me matem e zombem de mim. Mas seu escudeiro não quis, pois estava com muito medo. Então Saul tomou a espada e jogou-se sobre ela.
  • 5Quando o escudeiro viu que Saul estava morto, também se jogou sobre sua espada e morreu com ele.
  • 6Assim, naquele dia, morreram juntos Saul, seus três filhos, seu escudeiro e todos os seus soldados.
  • 7"Quando os israelitas que estavam no outro lado do vale e além do Jordão viram que os homens de Israel haviam fugido, e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram suas cidades e fugiram; e os filisteus vieram e habitaram nelas."
  • 8No dia seguinte, quando vieram para despojar os que haviam morrido, os filisteus acharam Saul e seus três filhos estirados no monte Gilboa.
  • 9"Então cortaram a cabeça de Saul e o despojaram das suas armas; e enviaram pela terra dos filisteus, em redor, para anunciá-lo no templo dos seus ídolos e entre o povo."
  • 10Puseram as armas de Saul no templo de Astarote e penduraram seu corpo no muro de Bete-Seã.
  • 11Quando os moradores de Jabes-Gileade ficaram sabendo disso, ou seja, o que os filisteus haviam feito a Saul,
  • 12"todos os corajosos se levantaram e, caminhando a noite toda, tiraram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos do muro de Bete-Seã; e voltando a Jabes, os queimaram ali."
  • 13"Em seguida, pegaram os ossos e os sepultaram em Jabes, debaixo da tamargueira; e jejuaram sete dias."
1234567...3031
Versão: Almeida Século 21